Meio Bit » Baú » Engenharia » Deu ruim, Marinha dos EUA vai cancelar os projetos de Railguns

Deu ruim, Marinha dos EUA vai cancelar os projetos de Railguns

O futuro pelo visto foi adiado. O Congresso dos EUA meteu o pé no freio e vai cancelar as pesquisas de railguns feitas pela Marinha. Os navios vão adentrar a segunda metade do século XXI ainda usando canhões com propelentes explosivos, igual piratas de 500 anos atrás… :(

06/12/2017 às 19:00

office_of_naval_research_electromagnetic_railgun_-_naval_surface_warfare_center_dahlgren_division_02

Eu sei, eu sei, todo mundo quer armas futuristas pewpewpew mas a triste realidade é que pesquisa de armamentos custa muito dinheiro, e em tempos de paz acaba não se justificando, mas o risco é ficar para trás e isso está acontecendo com os EUA.

Há casos assustadores como o Comanche, um helicóptero tão phoderoso que quase seria adversário a altura do Águia de Fogo. Depois de anos e US$ 7 bilhões decidiram que as ameaças para as quais ele havia sido projetado não existiam mais, e o programa foi abandonado.

Agora é a vez das railguns, armas que em vez de explosivos usam eletroímãs para acelerar o projétil. As vantagens são imensas. Imãs não explodem (imans sim mas aí é outro caso). Sem necessidade de um paiol cheio de cargas explosivas, sobra muito mais espaço para levar projéteis, e eletricidade em navios é abundante.

O projeto começou modesto, em 2010 já tinham um protótipo capaz de lançar um projétil de 10 kg a 160 km de distância. Em julho de 2017 foi demonstrado um canhão com capacidade e 4,8 tiros por minuto. A meta operacional é de 10.

Infelizmente o Congresso não está satisfeito com o andamento das pesquisas, e acha que depois de US$ 500 milhões investidos os resultados não são suficientes. Um relatório recente destacou que ainda precisariam de anos e uma fortuna para terminar as pesquisas, e a Marinha não tem nenhuma das duas coisas.


usnavyresearch — Navy Railgun Successfully Fires Multi-Shot Salvos

A recomendação é abandonar as railguns e aproveitar os projéteis de hipervelocidade desenvolvidos para elas. Lançados de um canhão comum, não atingiriam Mach 6 como nas railguns, mas Mach 3, três vezes a velocidade do som ainda é rápido o bastante para causar um bom estrago.

A um custo unitário de US$ 25 mil esses projéteis de alta velocidade podem ser usados inclusive contra mísseis de cruzeiro, ao menos em teoria. Só que eles também estão ainda quase na prancheta, e levarão anos pra chegar nas mãos da Marinha.

Esse barato vai sair caro pros EUA, mais cedo ou mais tarde. Quanto ao resto de nós, Railgun só em filme do Michael Bay.

Fonte: Russia Today.

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários