Meio Bit » Baú » Engenharia » Oh the humanity! Dirigível gigante sofre (outro) acidente

Oh the humanity! Dirigível gigante sofre (outro) acidente

Aquele dirigível que parece a única parte memorável da carreira da Iggy Azalea fez caquinha de novo. Dessa vez foi feio, o bicho se desprendeu, partiu em dois e caiu, pelo menos ninguém morreu. Infelizmente a idéia de dirigíveis na aviação comercial também sobrevive.

19/11/2017 às 18:10

thumb-1920-244541

Existem algumas tecnologias que são becos-sem-saída, mas por motivos desconhecidos caem no imaginário popular, e aí não importa quantos exemplos de que aquilo não é uma boa idéia: de tempos em tempos alguém vai desenterrar e tentar de novo, de preferência com dinheiro dos outros.

Há vários exemplos: videofones (não, colocar seus filhos pra conversar com a avó via Facetime não conta), carros voadores, jetpacks, telefones de pulso estilo Dick Tracy (pergunte à sua avó quando ela terminar de conversar com o Cléverson Carlos no iPad) cidades submarinas, prédios cobertos de vegetação e… dirigíveis.

Eu entendo o romantismo, todo aquele luxo e glamour dos navios, transportados para o ar, em uma aeronave futurista que por natureza flutua acima de icebergs e não cai se os motores pararem, mas a Realidade não liga pros nossos delírios românticos.

Dirigíveis vem não dando certo antes e depois do Hindenburg, fora os acidentes, eles levam bem menos carga que navios e são muito mais lentos que aviões. Não há uma justificativa mercadológica, por mais que o Gizmodo diga que são o futuro da aviação.

Mesmo assim, insistem. Tipo o Exército dos EUA, que gastou US$ 154 milhões desenvolvendo um dirigível que depois de cancelado foi vendido por US$ 5 milhões, e virou o Airlander.

20160824z207-07_1023vs.0

Em 2016 ele, que seria o maior dirigível do mundo, sofreu um acidente. Agora, mais um. Esse aqui foi um dos antigos. Não parece muito dramático mas a cabine ficou destruída:


Earl J. Norris — Airlander 10 crash (close-up & slow motion)

O mais recente foi bem pior. Uma ventania soltou o bicho das amarras, o que desencadeou um mecanismo de segurança que libera o hélio, para que o Airlander não avoe (linguagem de pipeiro). Sem integridade estrutural, ele se partiu em dois e caiu, ferindo levemente uma funcionária da empresa.

98808810_airlander
98808816_sbna_airlanderaccident1
98808818_sbna_airlanderaccident2

Já disseram que tudo vai ser consertado e o Airlander continuará a ser testado até revolucionar a aviação mundial ou o dinheiro dos investidores secar, o que acontecer primeiro.

Minha sugestão é que voltem a usar hidrogênio, ao menos os vídeos serão mais interessantes.

Fonte: BBC.

Leia mais sobre: , , , .

relacionados


Comentários