Meio Bit » Arquivos » Miscelâneas » Disquetes virtuais

Disquetes virtuais

04/10/2009 às 1:38

Conversa com o contador:

Então… com essa nota fiscal eletrônica, eu preciso de um certificado digital, certo?

Isso mesmo. Você pode comprar na Caixa, no Serasa… só uma coisinha… eles te dão as instruções de como gerar o disquete.

Disquete?”

É… aqueles disquinhos de computador… você que mexe com essas coisas não sabe o que é?

Eu sei o que é. Só não acredito que precise usar disquetes hoje em dia. O tal certificado deve poder ser gerado em um pendrive.

Não, não pode. Todos os meus clientes tiveram que comprar o disquete.”

Não é possível… deve ter uma opção para se gravar em mídia removível. Daí, basta apontar para o pendrive e…”

Nada feito. É impossível. Já perguntei no setor responsável e tem que ser disquete.”

Imaginem a minha expressão facial. Felicidade era a única coisa que não estava estampada no meu rosto. Bom, como conheço de perto a burocracia estatal, fui logo arrumando uma forma de “emular” um drive de disquetes. Afinal, pagar R$ 200,00 por um drive de 3 1/2’’ USB estava fora de cogitação.

A solução parecia fácil: abrir o “prompt” e usar o comando “subst”. O primeiro argumento é o drive que se deseja “emular” (ou “simular”, no caso). O segundo, é a pasta onde ficarão os arquivos. Por exemplo:

subst a: c:\Users\Marcellus\Desktop\Disco

faria aparecer “milagrosamente” o drive “A:”, mostrando os arquivos que estiverem na pasta “Disco”, situada no “Desktop”.

Infelizmente, o programa gerador do Certificado Digital não reconheceu o drive como “unidade externa” (ele aparece como “unidade local”). Pausa para contagem de 1 a 10…

Aqui mesmo no Meio Bit já havia uma dica de como “emular” o disquinho: o programinha “Virtual Floppy Drive”. Extremamente simples de se usar, resolveria o problema em poucos minutos. Baixei, rodei e… funcionou! Desta vez, o Certificado foi gravado corretamente.

Como a curiosidade matou o gato, mas ainda sobraram algumas vidas… fui verificar se não era mesmo possível usar um pendrive. O final da história não poderia ser outro: contrariando o contador e todos os seus clientes, o bendito “Certificado Digital” funciona, sim, com qualquer unidade externa… pausa para contagem de 1 a 100…

relacionados


Comentários