Meio Bit » Baú » Games » Sobre PlayerUnknown’s Battlegrounds e o comportamento tóxico de jogadores

Sobre PlayerUnknown’s Battlegrounds e o comportamento tóxico de jogadores

Após se tornar uma das maiores surpresas do ano, o jogo PlayerUnknown’s Battlegrounds acabou numa grande confusão graças ao comportamento tóxico de um dos principais streamers e o criador do multiplayer.

20/07/2017 às 10:03

playerunknowns-battlegrounds

Mesmo ainda restando quase metade do ano pela frente, acho que já podemos dizer que nenhum jogo conseguirá ser uma surpresa tão grande quanto tem sido o PlayerUnknown’s Battlegrounds. Baseado em mods que Brendan "PlayerUnknown" Greene criou para outros jogos, essa versão independente foi lançada sem alarde e logo tornou-se muito popular graças ao boca a boca, chegando inclusive a registrar um número maior de jogadores simultâneos que o tão adorado Grand Theft Auto V.

No game até 100 jogadores aparecerão numa ilha e seus objetivos serão vasculhar o local a procura de suprimentos, matar outras pessoas e é claro, tentar sair vivo da situação. Como a área segura diminuirá com o passar do tempo, os encontros fatalmente acontecerão, fazendo com que a experiência seja uma mistura de estratégia e ação.

Tudo ia relativamente bem com o PlayerUnknown’s Battlegrounds, com o título tendo ultrapassado a marca de quatro milhões de cópias vendidas sem ainda nem ter saído do Early Access, mas nos últimos dias o criador do game se envolveu numa polêmica e o motivo? O comportamento tóxico de um famoso streamer.

Conhecido como Dr. DisRespect, certo dia Guy Beahmand estava jogando com outras três pessoas e ao encontrarem uma moto que só poderia levar três deles, o sujeito não teve medo de matar o quarto integrante. O problema é que fazer isso deliberadamente com um colega de equipe vai contra as regras do jogo e como a transmissão estava sendo gravada, a comunidade exigiu uma posição por parte dos responsáveis pelo jogo.

Diante de tal situação, Greene usou sua conta no Twitter para dizer que atitudes assim não seria perdoadas, independentemente de quem fosse e que por isso o jogador seria banido temporariamente.

O criador do jogo então fez questão de deixar claro como a coisa deveria funcionar e escondido atrás de um personagem boca suja, Beahmand fez uma “brincadeira” que não caiu muito bem.

Conforme explicou Brendan Greene, quando estava na faculdade uma discussão com um companheiro de quarto fez com que o rapaz o desse um chute no peito, fazendo com que batesse com a cabeça numa porta de vidro. Por isso, o game designer acredita que ameaças de violência nunca deveriam ser usadas como piada e que as pessoas deveriam tomar cuidado com as palavras, já que elas podem ter um efeito negativo nos outros.

Embora alguns estejam criticando Greene por achar que ele levou a situação como um ataque pessoal, acho que ele está corretíssimo, principalmente quando diz que “na minha casa, ou você se comporta conforme as regras, ou some”. Além disso, parece que o criador do PlayerUnknown’s Battlegrounds já havia tornado pública essa agressão na faculdade, então mesmo que tenha apensas tentado brincar com a situação, acho que o Sr. Guy Beahmand passou dos limites.

De qualquer forma, o caso volta a levantar a discussão sobre comportamento tóxico nos games e no quão irritante pode ser apenas tentarmos nos divertir num multiplayer online. Da minha parte, rezo todos os dias para não cruzar meu caminho virtual com engraçadões como esse tal Dr. DisRespect.

relacionados


Comentários