Meio Bit » Baú » Indústria » Quando mundos colidem

Quando mundos colidem

23/09/2009 às 5:06

A Intel afiou os dentes durante o “Intel Developer Forum”. Paul Otellini disse, com todas as letras:

I can easily see a time where Intel will ship more SoCs than standard microprocessors.

Em uma tradução livre: “Prevejo o dia em que a Intel venderá mais SoCs que processadores [similares aos atuais]”.

Para quem não sabe, “SoC” ou “System on Chip” são os processadores que têm, agregados ao mesmo chip, periféricos como controladores de memória, Ethernet, USB e por aí vai. Aliás, este é o mercado dominado pela ARM (ao menos, hoje em dia).

Para ajudar o Atom a desbravar esse mercado, uma nova versão do Moblin está sendo discutida (2.1), com extensões voltadas especificamente para aparelhos celulares. Além disso, uma versão do Atom fabricada em 32nm (Medfield) deve sair do forno em 2011.

Ainda durante o Fórum, a Intel mostrou o primeiro chip funcional de memória SRAM feito no processo de 22nm, com 2,9 bilhões de transistores. A tecnologia deve entrar em produção no ano de 2011. Dois anos depois, será a vez do processo de 15nm.

E como fica a ARM nessa história?

Há alguns dias ela anunciou o seu “Atom killer”: o Osprey (o nome não é tão bacana, mas a tecnologia…). É, basicamente, um Cortex A9 “dual core” projetado para o processo de 40nm, capaz de chegar a 2GHz de clock e consumir não mais que 1,9W. Nas palavras de Eric Schorn, vice presidente de marketing: “O objetivo é performance, performance, performance.

A briga promete.

[via EETimes]

relacionados


Comentários