Meio Bit » Baú » Engenharia » Drones da Melhor Coréia usando tecnologia Made In Japan

Drones da Melhor Coréia usando tecnologia Made In Japan

A Melhor Coréia vive mandando drones pra espionar seus inimigos do Sul, mas uma coisa que é pouco divulgada é que a tecnologia deles é de ponta. Ponta de estoque. Sim, os drones do Grande Líder usam componentes de aeromodelos comprados em lojas de hobbystas…

22/06/2017 às 20:02

kim-jong-il-team-america15

Que a Melhor Coréia não é exatamente um bastião de alta tecnologia a gente já sabe, mas o isolacionismo deles os fez cair tanto nos rankings que, se em algumas áreas usam tecnologia de 50 anos atrás, em outras usam tecnologia moderna… para hobbystas.

A Melhor Coréia espiona o Sul constantemente, usando drones. Isso não é segredo. Eles até veicularam vídeos na TV mostrando que sabem a localização das baterias THAAD de mísseis anti-balísticos que em teoria deteriam ataques vindos do Norte.

dcs0p8hwaaatko4

Esses drones viajam bastante dentro do território inimigo. Alguns já foram mandados em missões suicidas e achados a 500 km da fronteira.

dcnelkvxoaaj3ku

… bem parecido com outro encontrado em 2014…

dcohyv2xgauuv7q

Se não parece grande coisa, e você acha que quase tem cara de brinquedo, bem… você não está muito longe da verdade. Ao menos foi o que descobriram examinando o drone.

dc4l4fsxsaeahrm

dc6-n9twaaangwt

Exato, sistemas de navegação da canadense MicroPilot, e rádios da japonesa Futaba, velha conhecida de todo mundo que já brincou com aeromodelos. Ah, os motores são comprados de uma empresa checa de aeromodelismo.

dc7nbghxyaarnhd

Ah Cardoso mas o importante é que funcione deixe de ser chato os caras são criativos e se viram com o que tem

O problema, querido floquinho, é que isso não é o bastante. Se essa é a tecnologia da Melhor Coréia, eles serão trucidados em qualquer conflito. Aeromodelos e drones montados com peças da Deal Extreme funcionam bem, quando deixados em paz. Em guerra, a coisa muda de figura.

Esses equipamentos cairão como moscas ao primeiro contato com contra-medidas eletrônicas. Como não são remotamente controlados nem tem capacidade de transmitir nada a 500 km de distância (nem a Melhor Coréia acredita em Terra Plana) dependem de voltar à base para descarregar seus dados, e isso não vai acontecer.

Um único Prowler voando em patrulha perto da fronteira nega acesso a qualquer drone vagabundo, basta usar este brinquedo aqui:

jammer

É um AN/ALQ-99, módulo de guerra eletrônica, capaz de identificar, analisar, decodificar e anular todo tipo de sinal de rádio. A energia vem daquela turbina na frente, ela alimenta os circuitos que geram 10,5 kW de sinal; deixando os drones inimigos doidos. Ao menos os vagabundos.

Fonte: Twitter.

Leia mais sobre: , .

relacionados


Comentários