Meio Bit » Arquivos » Games » Como me tornei um Retrogamer

Como me tornei um Retrogamer

Por que ser retrogamer? Conto a minha experiência de trocar o Xbox 360 por um SNES.

12/09/2009 às 11:30

Chegamos em uma era de computadores capazes de rodar jogos com gráficos espetaculares (como Crysis), consoles com HDs integrados e conexão com a internet, portáteis com alto poder de processamento, etc. Com tudo isso (ou parte disso) ao nosso alcance, porque ainda existem pessoas interessadas em jogar algo que foi lançado há quase 20 anos atrás? Irei deixar aqui o meu relato

Em 1993, ganhei meu primeiro console, um Turbo Game: fabricado no Brasil pela CCE. Ele rodava tanto jogos americanos quanto japoneses do NES 8 Bits. Não o possuo mais, foi doado para um primo.

clip_image001 Em 1995, ganhei o meu segundo console, o SNES da Playtronic. Comprei muitos cartuchos usados, fazia trocas depois de enjoar de alguns. Aliás, na minha cidade, sempre haviam lugares onde trocavam cartuchos, voltando uma diferença de R$ 3,00 ou R$ 5,00. Era bem mais vantajoso do que alugar, pois você podia ficar com o seu jogo o tempo que quisesse. Joguei bastante SNES até meados de 2001. Mas nunca me desfiz do console, tampouco de meus cartuchos que consegui comprar com tanto sacrifício. De vez em quando, até ligava ele para jogar o Multiplayer de Rock N' Roll Racing com os amigos.

Em 2000, migrei para o PC. Comecei a me interessar mais pelos jogos de FPS (Tiro em Primeira Pessoa), gênero que até hoje sou fã. Recentemente em conversas com amigos, vendo sites e fóruns saudosistas (como o Vida de Gamer, MBG e Nowloading), comecei a sentir vontade de “tirar a poeira” do meu velho console e voltar a jogá-lo.

clip_image003 Porém isso aconteceu na mesma época em que eu adquiri um Xbox 360 (2009) e comecei a usar uma TV de LCD (acho que a maioria de vocês sabe que videos games antigos ficam com a imagem simplesmente HORRÍVEL se instalado numa TV dessas). Fiquei com essa limitação da TV, há a possibilidade de jogar nos emuladores, mas sempre achei um absurdo jogar o emulador de um console que eu possuo em casa, com uma pilha de cartuchos. Sem contar que eu havia pago uma nota preta no Xbox 360, na TV e nos vários jogos originais que comprei. Então eu não podia deixar meu console novo de lado, tinha que fazer valer a grana que investi nele.

Mas as coisas acabaram mudando de rumo novamente. Para quem não sabe, tenho uma doença chamada Ceratocone, a mesma que o Dori Prata tem (Como somos sortudos hein!). Mas ao contrário do Dori, acabei fazendo uma cirurgia diferente, que foi a de Transplante de Córnea no Olho Esquerdo. Até posso jogar videogame, mas a maioria dos jogos do Xbox 360 rodando na TV de LCD tem uma imagem forte que acaba forçando muito a visão, além de exigirem muita leitura. Como a visão desse olho esquerdo ainda não está boa, não consigo ficar lendo de longe. Então decidi empacotar o Xbox 360 e deixá-lo guardado.

clip_image005 Foi então que pensei em instalar novamente o SNES. Mas como na TV de LCD ficaria ruim, resolvi ligá-lo na TV de Tubo da sala, com possibilidade de jogar apenas quando a mesma estivesse desocupada. Comecei a jogar Castlevania Dracula X e vi que, ao contrário dos jogos de Xbox 360, conseguia jogá-lo, pois não exigia leitura nenhuma e nos raros momentos em que haviam textos, eram fáceis de ler, pois as letras eram bem grandes.

O fato do jogo ter Password, facilitou para mim, pois assim poderia jogar aos poucos, sem perder o progresso. Já o zerei e fiz todos os finais. Vejo que a experiência de jogo não envelheceu nem um pouco, ao contrário: com a destreza já adquirida ao longo dos anos de jogatina no SNES, foi muito bom jogar um game difícil e tive a capacidade de detoná-lo. Agora, sempre que a TV da Sala estiver livre, vou fazer umas sessões de SNES.

Apesar de ter os cartuchos há muitos anos, existem alguns deles que não consegui terminar. Seja por: falta de habilidade, passwords perdidos, baterias que não funcionam direito e apagam jogos, etc.

E assim me tornei um retrogamer. Na verdade, eu já tinha o console e apenas resolvi voltar a jogá-lo. Mas existem casos de pessoas que, mesmo não os possuindo mais, vão atrás dos consoles e dos raros jogos que outrora tiveram.

E você: ainda tem um console antigo funcionando? Que tal tirar a poeira dele e voltar a jogar? Nada de save states ou cheats, jogar apenas com a cara e a coragem como nos velhos tempos! Caso você já seja um retrogamer, nos conte a sua história também.

relacionados


Comentários