Meio Bit » Baú » Fotografia » OK, Microsoft, seja menos Apple só um tiquinho

OK, Microsoft, seja menos Apple só um tiquinho

11/09/2009 às 10:20

Houve um tempo em que a Microsoft imitava a Apple. Houve um tempo em que a Apple imitava a Microsoft -o processo de fofoletização do OS X é evidência disso- e houve um tempo em que a Apple ficou malvada e a Microsoft ficou Cool.

Agora, talvez mordidos por um Steve Jobs radioativo (não faça a piada que pensou, Leo) repetiram a fórmula infalível de ganhar amigos da Apple: O Zune HD será somente para o Mercado Americano. Nem os Canadenses, que são o quintal dos gringos terão acesso ao brinquedo.

Infelizmente é uma estratégia comum. O Zune marrom-cocô Ubuntu também só funciona por lá, e em PCs. Macs nem pensar. Essa é outra estratégia "copiada", se bem que a Apple foi bem mais insana. Quando surgiu o 1o iPod ele SÓ funcionava em Macs, que não tinham exatamente virtual monopólio dos desktops. A versão PC do iTunes levou um ano para sair.

O que muda para nós aqui do mato?

Basicamente nada. Nós queremos o conteúdo, seja legal ou ilegal. Surgirão macetes, como temos para acessar a AppStore "de verdade", o iTunes com conteúdo gratuito e até o XBox Live. A Microsoft nunca foi realmente dura em termos de proteção; primeiro porque é proibitivamente caro, segundo porque é um desafio e hackers adoram um desafio.

Nota: Segundo os freetards A Microsoft não faz um Windows impossível de copiar por pura estratégia de disseminação. A Apple faz o OS X sem NENHUMA proteção, e é legal e boazinha. Não é ótimo viver sob dois pesos e duas medidas?

O que leva empresas a tomarem atitudes aparentemente idiotas e impopulares? Fácil, empresas idiotas e impopulares, como grandes gravadoras e estúdios de Hollywood. O mundo do licenciamento é uma ZONA. Seriados comumente saem em DVD com músicas em sua trilha diferente das usadas nos episódios que foram ao ar, estúdios no Brasil distribuem filmes de concorrentes nos EUA, ninguém é de ninguém e todo mundo é licenciado para todo mundo.

Assim, quando a Apple ou a Microsoft vendem no Brasil um episódio de The L Word (ótimo seriado, em mute) quem ganha? O estúdio que produziu nos EUA? E o representante do estúdio no Brasil? E quem licenciou para exibição na TV? Virá legendado? Se eu quiser sem legendas terei mais rápido E mais barato?

É muito, muito complicado, todo mundo quer uma fatia do bolo, todo mundo vive do bolo e o bolo não dará para todos. TV, ao contrário de música é caro demais para iniciativas independentes. Nosso sonho de uma loja mundial só será possível no dia em que conseguirem efetivamente dividir o bolo. Ou seja: Nunca.

relacionados


Comentários