Meio Bit » Baú » Indústria » Desbravando Computadores Ultra-Portáteis e Netbooks - Introdução

Desbravando Computadores Ultra-Portáteis e Netbooks - Introdução

07/09/2009 às 12:26

O mercado de computação portátil está uma uma bagunça e o consumidor mal informado com certeza vai levar gato por lebre. Antigamente, havia a versão desktop e outra para laptop das famílias dos dois principais fabricantes, AMD e Intel.

Com o surgimento dos Netbooks ou Subnotebooks, os fabricantes correram para competir nesse mercado popularizado principalmente pelo conceito do XO e pelo sucesso comercial do Asus Eee. A sopa de letras e opções que misturam novos produtos e conceitos com as linhagens antigas de baixa tensão (voltagem) e consumo, confundem ainda mais. Intel Atom, AMD Athlon/Turion Neo e o Via Nano estão entre as opções com diversas configurações e modelos.

Via Nano

O mais complicado é que as linhas de produtos estão confusas e custo/benefício nebuloso e nem sempre vantajoso para o consumidor. Vamos desbravar o território numa série de artigos.

Passo 1: Objetivo de Uso

Não se espera usar um telefone celular para digitar longas planilhas, editar imagens, blogar usando um teclado T9. Então, defina bem o que você vai fazer com o novo equipamento para saber se ele realmente atende.

Ninguém compra um computador nessa categoria para procurar uma tomada a cada duas horas. Uma visita do Cardoso foi fácil observar como um power user desses equipamentos trabalha: carrega a bateria, usa sem tomada até sobrar uns 20-30 min de carga e repete.

Passo 2: Ordenar Restrições

Orçamento, dimensões, peso, longevidade de bateria são os principais aspectos e não há uma ordem específica pois depende de cada objetivo. Por exemplo, para quem viaja muito e pode passar longas horas em trânsito a autonomia torna-se o fator número 1 e a diferença entre 4 e 7 horas de uso contínuo é enorme.

Por exemplo, no meu caso, a principal restrição é longevidade de bateria e em seguida por performance. Eu sou um power user e gamer. Os meus jogos casuais são os encontrados no www.gog.com.

Passo 3: Decisões e Informações Técnicas

E aqui começou o pesadelo e passei muitas horas pesquisando para descobrir e comparar os dados e o termo de maior importância chama-se TDP, acrônimo de Thermal Design Power. A escolha correta pode ser uma máquina que possui longa duração de bateria e performance suficiente para atender os objetivos.

Fabricantes e Plataformas

Intel Atom

As plataformas estavam relativamente definidas até esse ano: baixa performance, baixo consumo, colocado como um equipamento acima de um PDA/Smartphone, bem abaixo de um notebook.

Então os consumidores ditaram mais uma segmentação ao comprar e devolver muitos equipamentos por decepção. São pessoas que esperavam comprar um notebook pequeno, barato, com longa duração de bateria e performance reduzida, mas não um subnotebook com metade da performance de um AMD Sempron.

A AMD respondeu com o Yukon e a Intel que já fornecia uma linha de CPUs Ultra-Low Voltage vai lançar ainda mais opções, mais baratos, chamados de Consumer Ultra-Low Voltage. Esbarrei em um artigo do Ars Technica sobre a nova linha de CPUs da Intel que vale a leitura e mostra como o mercado vai ter opções, MUITAS opções.

A Intel lidera o mercado, mas a AMD e Via ainda estão no páreo. Considerando que as pessoas que possuem notebooks compram uma segunda máquina menos poderosa e o preço atrativo inclui novos consumidores, são bilhões de dólares em vendas que não poderiam ser ignorados.

relacionados


Comentários