Meio Bit » Arquivos » Fotografia » PIB 2009 - Últimas informações

PIB 2009 - Últimas informações

17/08/2009 às 19:08

Quem não conhece a Photo Image Brazil não sabe a complexidade de cobrir o evento. São mais de 130 expositores espalhados pelo pavilhão. Minha intenção era ficar dois dias, mas no último minuto decidi ficar os três e, mesmo assim, no final do terceiro dia descobri estandes que ainda não tinha visitado. Coisa gigantesca mesmo. Como é impossível escrever um post para cada expositor, esse aqui é um pequeno resumo do que achei interessante e não apareceu nos outros textos publicados.

- Nikon – A Nikon sofre com o mesmo problema da Canon. Não vende diretamente seus produtos ao consumidor final no Brasil. Porém, as duas grandes representantes de vendas da empresa no Brasil estavam presentes na feira. A T.Tanaka e a Udenio. Não tive tempo de ir até o estande da Udenio, mas a T.Tanaka estava muito tímida. Ao contrário da Canon, que montou um estande monstruoso e com todas as câmeras para o público brincar, a Nikon tinha algumas compactas, as DSLR que estão sendo lançadas agora, como a D5000, e atendentes com pouca vontade. Isso mesmo. Várias vezes me dirigi até lá e fui atendido com má vontade. Se você fosse um representante de loja as coisas mudavam de figura. Era convidado para a área VIP, assistia uma apresentação multimídia e rolava até um cafezinho. Mas, é complicado não atender bem a outra ponta do processo. Quem vai comprar as câmeras é o consumidor, que não era atendido bem. Problema que deve ser resolvido urgentemente para os próximos eventos;

- Digipix – mais uma vez fui atendido de maneira muito satisfatória pelas promotoras da Digipix. A empresa surgiu a alguns anos no mercado para suprir o consumidor e fotógrafos profissionais com impressão de fotolivros, fotopresentes e fotos normais. Pode parecer uma coisa simples, mas para quem estava começando no mundo da fotografia, antes da entrada da fotografia digital, a questão de impressão e encadernação dos álbuns era um grande problema. As empresas que estavam no setor só concediam preços razoáveis se você tivesse uma quantidade de trabalhos bem elevada por mês. Com as empresas de fotolivro isso não acontece. A Digipix possui modelos simples, que podem ser usados nos trabalhos de Book e aniversários de 15 anos, e os mais luxuosos que podem ser apresentados sem medo para um álbum de casamento. Na feira eles lançaram novos modelos com capa de couro e distribuíram para os visitantes um CD com a nova versão do software D-Book, usado para criar os fotolivros e enviá-los para impressão;

- Agfa – A empresa está voltando ao mercado brasileiro com uma linha completa de câmeras digitais compactas. Assim como a Yashica, a ordem aqui é conquistar o consumidor de baixa renda com equipamentos simples e baratos, mas com qualidade aceitável. A empresa nos mostra como carro chefe dessa nova empreitada no Brasil a DC 833s de 8 megapixels e a DC 1033s de 10 megapixels. Porém, a câmera mais bacana encontrada no estande foi a DC 600uw, câmera a prova d’água que resiste a até 10 metros de profundidade e sem limite de tempo. Muito mais que a concorrência, que fica em torno de 3 metros de profundidade e possuem limite de tempo para ficarem submersas.Todas as câmeras da Agfa no Brasil vão acompanhar cartão SD de 2GB, bolsa para transporte e carregador e pilhas recarregáveis. A Agfa no Brasil é comercializada pela Softronic.

- Mako – outro estande em que fui muito bem recebido foi o da Mako, empresa especializada em iluminação para fotografia e vídeo. Estava exposta uma grande quantidade de produtos e acessórios voltados para iluminação de estúdio, para fotografia de book, retratos e produtos. Também tínhamos os rebatedores dourados e prateados em vários tamanhos. Eu tenho um amigo fotógrafo que sempre me diz que hoje montar um estúdio fica mais barato que montar um carrinho de cachorro quente. Pode parecer estranho, mas é verdade. Existem vários kits montados com baixo preço que podem suprir de maneira satisfatória as necessidades de um fotógrafo iniciante. Também se encontrava na vitrine os filtros para correção de white balance fabricados pela empresa. Mas esses estavam trancados e não deu para comprovar sua eficiência.

Impressão Geral

O evento estava muito bem organizado. O credenciamento esse ano era todo feito por máquinas. Era só digitar a senha disponibilizada no credenciamento on-line que a máquina imprimia o crachá, sem problemas e bem rápido. A localização dos estandes estava mapeada em um grande pôster logo na frente do pavilhão. Quem foi lá procurando algo específico conseguiu se localizar de maneira tranqüila. Também temos que dar os créditos ao sistema gratuito de transporte da Estação Jabaquara até o evento. Em nenhum dos dias fiquei mais do que 15 minutos esperando. Todos os funcionários envolvidos no evento foram muito prestativos e pacientes com os visitantes. Tenho que dar um especial agradecimento ao pessoal da Sala de Imprensa e do Guarda Volumes por terem paciência com um chato como eu. O único problema encontrado foi com a praça de alimentação do local. Garanto que lá paguei o self service mais caro da minha vida. Mesmo para São Paulo o preço estava bem salgado. Só posso finalizar essa cobertura dizendo que foi tudo muito divertido e interessante. Agradeço ao evento por ter aceitado minha credencial como jornalista e ao Meio Bit, que é o motivo (ou seria desculpa) de eu ter passado três dias em São Paulo.

Pedido de Desculpas

Para encerrar o assunto, gostaria de pedir desculpas oficialmente pelo ocorrido em um dos textos publicados durante essa cobertura sobre as atendentes e modelos que trabalharam no Photo Image Brazil 2009. Alguns dos leitores do blog se manifestaram de maneira não muito condizente com o cavalheirismo que devemos ter para com as mulheres. Principalmente as que estão trabalhando de forma honesta. Esse pedido de desculpas não é apenas dirigido às meninas que reclamaram diretamente para mim, mas também a todas às mulheres que se sentiram ofendidas com os tratamentos encontrados nos comentários. Afirmo que aquela não foi minha intenção e que os comentários de baixo nível não refletem a opinião de nenhum dos Editores do Meio Bit.

relacionados


Comentários