Meio Bit » Arquivos » Ciência » Cientistas da KU Leuven criam robô para aplicar injeção no olho

Cientistas da KU Leuven criam robô para aplicar injeção no olho

Oclusão venosa de retina é uma doença séria, de tratamento difícil e não muito eficiente. Agora uma universidade belga inventou um robô capaz de operar com muito mais precisão que qualquer cirurgião, se tudo de certo milhões de pacientes no mundo todo terão uma chance de enxergar de novo.

20/02/2017 às 9:00

chupaasimov

Oclusão Venosa de Retina é uma condição súbita e perigosa, na qual um coágulo interrompe o fluxo sanguíneo na principal veia do olho ou em um dos vasos auxiliares: isso leva a cegueira súbita, perda de visão parcial e outros problemas. 

O tratamento envolve meses de injeções no olho para reduzir os efeitos do coágulo, mas a oclusão em si não podia ser tratada, por uma questão de escala. Um vaso sanguíneo no olho tem espessura de 0,1 mm; nenhum cirurgião consegue operar nessa escala. Muito menos manter a agulha firme por 10 minutos, tempo necessário para aplicar o medicamento.

Quer dizer, nenhum cirurgião humano. Isso não fez com que os pesquisadores da Katholieke Universiteit Leuven, da Bélgica desistissem. Pelo contrário, começaram a pesquisar como ensinar um robô a realizar o procedimento.

Controlado por um cirurgião, o robô reduz os movimentos da mão do médico em uma escala de 10x, eliminando ao mesmo tempo vibrações e movimentos exagerados. Na ponta do cateter, uma micro-agulha de 0,03 mm de espessura, fina o bastante para penetrar em um dos microvasos da retina, sem danificá-lo.

Com a agulha em posição, o robô assume o controle e cuida para compensar qualquer movimentação, garantindo que a agulha fique no lugar e nada seja danificado. O médico pode então se preocupar só com a aplicação do medicamento antitrombótico.


FirW KU Leuven — Eye Surgery Robot

A Oclusão Venosa de Retina afeta 16,4 milhões de pessoas em todo o mundo: na Bélgica, o tratamento convencional custa 32 mil euros por olho. O robô irá baratear enormemente isso.

A próxima fase da pesquisa é acompanhar o paciente que foi operado dia 12 de janeiro, o primeiro a usar o robô. Se o prognóstico for tão bom quanto se espera, não levará muito tempo até o robô estar disponivel em um monte de clínicas.

Fonte: KU Leuven.

Leia mais sobre: , .

relacionados


Comentários