Meio Bit » Baú » Hardware » A Evolução do Bluetooth a olhos vistos

A Evolução do Bluetooth a olhos vistos

28/07/2009 às 20:16

A primeira vez que vi uma referência a Bluetooth foi em um artigo de revista, onde uma imagem da Tenente Uhura, de Star Trek (ainda a Nichelle Nichols, bem antes da maaaaaaravilhosa Zoe Saldana) exibia o clássico fone sem-fio usado pela telefonista Oficial de Comunicações da USS Enterprise.

A idéia de um fone sem-fio não era nova, mas pela primeira vez tínhamos a integração de um protocolo de comunicação sem-fio com dispositivos externos de forma não-proprietária e sem gambiarras.

Isso, claro, em teoria. A Microsoft não acreditou no Bluetooth, sofremos com drivers xingling por anos até decidirem que sim, vão suportar o protocolo. Isso deu início a uma lenta mas perceptível evolução. Os primeiros drivers no XP eram capengas. Com os service packs melhoraram. Aos poucos o suporte foi ficando mais simples, mas conectar algo Bluetooth no Windows ainda era um parto. No Vista o Bluetooth já estava bem mais maduro, um ou outro dispositivo ainda precisava de drivers externos.

Agora com o Windows 7, sou obrigado a admitir que o suporte a Bluetooth está funcionando melhor do que no Mac. Tanto em termos de eye candy quanto em funcionalidade. Para quem bateu cabeça semanas, no melhor estilo usuário de Linux (no bom sentido) até conseguir instalar corretamente o primeiro adaptador ("dongle" me lembra demais Long Dong Silver) foi uma surpresa muito bem-vinda. De lá para cá praticamente todos os meus aparelhos móveis e TCs tinham
Bluetooth, cabo só é usado para carregar bateria e atualizações de
firmware.

Supresa, aliás, foi ao achar meu primeiro adaptador, o TECOM BT3030 "made in taiwan" registrado no FCC em 2002.

Custou uma fortuna e levou um tempão para achar, felizmente eu tinha as duas coisas. De lá para cá o protocolo amadureceu, o hype acabou, se tornou realmente algo útil, mas o assustador foi a evolução no tamanho dos adaptadores. Veja a diferença entre meu PRIMEIRO adaptador, de 2002, e o último, comprado no final de 2008, que custa US$8,60 na Deal Extreme. Achou caro? O da esquerda, tiquinho maior custa incríveis US$2,46.

Para quatro seis anos, uma miniaturização e tanto. É bom ver o futuro com pressa pra chegar.

relacionados


Comentários