Meio Bit » Baú » Hardware » Fabricante espanhola está vendendo smartphones da Xiaomi como se fossem seus

Fabricante espanhola está vendendo smartphones da Xiaomi como se fossem seus

Kibe à espanhola: smartphones vendidos pela Zetta são na verdade dispositivos da Xiaomi disfarçados; empresa copiou até as capinhas dos chineses.

20/10/2016 às 11:00

zetta-conquistador-xiaomi-redmi-2

Conquistador 4.7 SE vs. Redmi 2: separados no nascimento

Que o mundo capitalista não é para amadores a gente está careca de saber, mas tem horas que a cara-de-pau de alguns surpreende até os macacos velhos. A última veio da Zetta, uma fabricante de smartphones espanhola que na verdade não criava um aparelho sequer, apenas revendia gadgets da chinesa Xiaomi como se fossem os seus próprios.

A Zetta é uma companhia relativamente nova, que começou a vender os “seus” smartphones em 2015 no mercado espanhol. Ela estava chamando a atenção por conseguir colocar no mercado gadgets de entrada e intermediários por preços realmente interessantes, e estavam dando uma canseira na concorrência. Só que algunmas pessoas mais espertas começaram a perceber que os tais smartphones eram muito, mas MUITO familiares.

A verdade é que a Zetta se aproveitou do fato de que a Xiaomi não é uma companhia com grande representatividade na Europa (nem aqui eu diria, mas divago) e se valeu de uma estratégia das mais descaradas: passou a vender aparelhos dos chineses com um maquiagem mínima, de modo que se passassem como os seus próprios.

A farsa foi desmascarada pelo fórum espanhol Forocoches, que desmantelou um dos aparelhos da Zetta e deu de cara com o logo da Xiaomi por baixo de um adesivo:

zetta-iphone-xiaomi-1

A partir daí mais e mais gente começou a apontar que todos os dispositivos da Zetta são na verdade modelos da Xiaomi maquiados:

  • o Redmi original virou o Conquistador 4.7;
  • o Redmi 2, o Conquistador 4.7 SE;
  • o Redmi Note 2, o Conquistador 5.5 Plus;
  • o Redmi Note 2 Prime, o Conquistador 5.5 Gold;
  • o Redmi Note 3, o Timo Zetta.

A cara de pau é tamanha que kibaram até os cases:

O fundador da Zetta Unai Neto é tão cara-de-pau que não encontra empecilho algum em mentir quando fala do “processo de produção” de sua linha de smartphones:

Movil Extremeño zetta

A Zetta nega as acusações, afirmando que trabalhou junto à Xiaomi para lançar seus aparelhos no país. Segundo a fabricante ambas teriam uma parceria, mas não demorou muito para a própria Xiaomi desmentir as afirmações, alegando que nunca fez negócios com a Zetta e que sequer a autorizou a manipular seus gadgets. Para piorar as coisas o principal sócio de Neto, o empresário Cui Bojun já se envolveu em negócios escusos no passado, como por exemplo registrar no país as marcas Aliexpress e Aliexpress España sem autorização da matriz.

A coisa ficou tão feia que a Facua, a associação espanhola para defesa do consumidor enviou uma mensagem no Twitter afirmando que todos os donos de smartphones Zetta tem direito a um reembolso integral, já que entende a prática da fabricante como uma falcatrua das grossas. Além disso está convocando as autoridades de Extremadura e Madri, onde fica a sede da Zetta a tomarem providências.

Minha opinião? A Zetta será devidamente atomizada, Neto e Bojun receberão uma chuva de processinhos e a Xiaomi acabou recebendo uma propaganda indireta, visto que os aparelhos estavam sendo muito elogiados na Espanha. No mais é curioso ver a companhia chinesa, que vira e mexe é acusada de só copiar design alheio sendo a vítima da vez.

Fonte: International Business Times.

relacionados


Comentários