Meio Bit » Arquivos » Internet » Histeria do Dia: Apple promove pornografia infantil

Histeria do Dia: Apple promove pornografia infantil

02/07/2009 às 15:08

Existe uma velha técnica de redação onde uma notícia sofre reducionismo E generalização até se tornar interessante. Exemplo: Um estudo mostrou que ouvir música muito alta com headphones é prejudicial. Como torná-la interessante? "Ipods Causam Surdez". Lembro que quando vi isso, o texto SEQUER mencionava iPods.

O caso em questão neste artigo é semelhante. O Download Squad fala de pornografia infantil em aplicações aprovadas pela Apple, o Krapps.com fala de garotinhas de 15 anos nuas na App Store, a impressão que temos é que Steve Jobs deixou a Apple a cargo de uma comissão composta de Vladmir Nabokov, Roman Polansky e Jerry Lee Lewis.

O que aconteceu afinal: Alguém teve a brilhante idéia (leia de qualquer jeito, funciona com ou sem sarcasmo) de criar uma aplicação onde meninas subiriam fotos de si mesmas, outros usuários votariam e todos compartilhariam imagens bonitas, inocentes e Legais, tudo na Santa Paz do Senhor.

A quanto tempo você está na Internet? Entrou agora? Então conte comigo: 1... 2... 3... 4... pronto.. Você já tem tempo de casa suficiente para saber que NÃO DÁ CERTO.

Imediatamente o Beauty Meter começou a ser usado da forma planejada, exceto: não levaram em conta que garotinhas de 15 anos (ao menos as de hoje em dia, maldição) são exibicionistas, não têm qualquer problema em mostrar o corpo, e adoram elogios. Não é preciso um proverbial tarado seduzindo as pobres menininhas, fazendo-se de fã dos Jonas Brothers. Elas mostram sozinhas.

Assim, obviamente, no raiar do programa já acharam uma foto de uma menina de 15 anos, pelada no espelho, visão completa, mostrando de onde tudo começa até onde tudo se resolve.

Isso despertou a ira do pessoal que acha que a culpa é do aparelho, na lógica do corno que acha a mulher com o melhor amigo se agarrando no sofá, e vende o sofá. Curioso é não irem atrás das máquinas fotográficas digitais, afinal é com elas que surge a maior parte do material questionável online.

A Apple, como não quer muita confusão e essa coisa de mulher pelada nunca foi o forte da empresa anyway, removeu a aplicação. Curiosamente outras do mesmo estilo como a Pretty Shuffle, continuam no ar.

Conter pornografia na Internet sempre foi uma tarefa ingrata, mas agora na época do conteúdo gerado pelo usuário, eu diria que é impossível, mesmo com Leis tão draconianas como nos EUA, onde uma adolescente pode ser classificada como Criminosa Sexual e condenada por Pornografia Infantil por postar fotos de si mesma.

Por outro lado, quem acessa a aplicação com fins legítimos (é legítimo procurar fotos de garotinhas de 17 anos online?) corre risco de ser preso, pelos mesmos crimes do parágrafo anterior. Por mais que eu dê todo o apoio a adolescentes que queiram se desnudar para outros adolescentes, EU não tenho nada a ver com isso.

A criminalização da mídia, entretanto, não é a saída. O P2P já foi MUITO vilipendiado pela mídia, eMule hoje é considerado underground, ninguém sério distribúi conteúdo por lá. Exceto os seriamente pervertidos, claro. Mesmo Bit Torrent já sofre, não é toda empresa que disponibiliza conteúdo através dele.

O caso não é mais repressão; é impossível. É conscientização. Explicar para a menina que dali a uns 20 anos, quando ela for uma Juíza Promissora, ou candidata a alguma coisa, essas fotos VÃO aparecer. Não dá para retirar nada da Internet, da mesma forma que a remoção a Laser não fez ninguém esquecer que a Carolina Magalhães andava por aí com o nome do Marcos Mion tatuado.

Este post tem o

relacionados


Comentários