Meio Bit » Arquivos » Ciência » Dia 4 veja a Trosoba do Jeff Bezos ser destruída de forma espetacular. FOR SCIENCE!

Dia 4 veja a Trosoba do Jeff Bezos ser destruída de forma espetacular. FOR SCIENCE!

Como você escapa de um foguete prestes a explodir? Com um sistema de escape, e é isso que a Blue Origin irá testar, no começo de outubro.

30/09/2016 às 12:04

20160510rocket_full_lightblue

Eu sei que é polêmico e controverso mas não dá para dourar a pílula, tenho que falar com todas as letras: foguetes são perigosos. Bastante. Se o novo brinquedo do Musk explodir a quantidade de energia liberada será um pouco maior que a bomba de Hiroshima: 16 kt. Sempre que um vivente senta no alto de algumas centenas de milhares de quilos de combustível altamente inflamável é reconfortante ter um meio de sair dali bem rápido se algo der errado.

A NASA tinha aquela fantasia de que em caso de problema com a Apollo, os astronautas teriam tempo de sair da cápsula, correr para a beira da plataforma, se prender a correias e descer por um cabo até uma sala blindada.

Alguém se tocou que isso era inviável, e preferiram usar só as Torres de Escape, isto aqui:

pad-100507-02-jpg

Presa no alto do foguete, é uma estrutura com vários foguetes de combustível sólido — uma tecnologia simples, provada e confiável, que só países muito incompetentes não conseguem dominar — que em caso de necessidade de abortar o lançamento, puxam a cápsula para longe, em uma fração de segundo. Note o foguete horizontal no alto, dando um componente lateral, afinal tem um foguete vindo atrás de você.

No Saturno V o sistema era incrivelmente simples e inteligente: três fios percorriam toda a extensão do foguete. Se dois se rompessem significaria que o foguete estava se despedaçando, então o sistema de escape seria acionado automaticamente. Só faltava testar.

O teste do sistema de escape da Apollo foi espetacular: pelos motivos errados, mas certos.

Eles construíram um foguetinho chamado Little Joe, só para isso. No plano ele subiria até 10 mil pés, eles acionariam manualmente os foguetes do sistema de fuga, e tudo aconteceria conforme o script. Só que o estagiário instalou errado os giroscópios do Little Joe.

Ele decolou, começou a girar, a força centrífuga comprometeu a integridade estrutural e ele começou a se desfazer. Os fios do sistema de escape foram rompidos, a torre de escape acionada e a cápsula de testes se safou sem um arranhão. Foi lindo:


oisiaa — Apollo Launch Abort System Test

Essa tecnologia já salvou vidas. E colaborou para tornar mais ficção ainda uma cena de ficção. Lembra disto?

BATMAN V SUPERMAN

Essa cena é irreal, e nem falo por causa do escoteiro azulão. Kal-El é apenas… desnecessário. Mesmo quando tudo dá errado, a tecnologia resolve, como resolveu em 1983, no lançamento da Soyuz T-10a, onde nem a burocracia e incompetência estatal soviética estragaram o dia.

Uma bomba de combustível funcionou a seco, se despedaçou e iniciou um incêndio, que rapidamente atingiu os tanques do foguete. Na Central de Controle foi acionado o mecanismo de escape, que era manual, mas o fogo já havia queimado os cabos.

Ao invés dos sistemas automáticos os russos preferiam comandar o acionamento, e claro, havia um backup, mas não dentro da nave. Sim, o incrível design soviético havia decidido que os astronautas não poderiam acionar o sistema de escape da nave.

O backup era um comando por rádio, mas só poderia ser acionado se dois operadores, a alguns quilômetros dali recebessem uma palavra-código e apertassem um botão em um intervalo de menos de 5 segundos.

Levaram 20 s para executar essa sequência, mas deu tempo e os dois astronautas escaparam:


Bruno Leal — Soyuz Launch Escape Tower System

A SpaceX tem um sistema de escape, utilizando os propulsores Draco da Dragon V2, ele foi testado em solo e deve ser testado em vôo ano que vem. A Blue Origin preferiu uma solução híbrida, já que sua cápsula não tem propulsão.

Eles dotaram a cápsula de um motor de combustível sólido, que em caso de deu merda ejetará a cápsula para longe. Já testaram em solo:


Blue Origin — Great Day in West Texas

Agora o teste será à vera, para certificar a cápsula como segura para humanos. O teste envolverá um lançamento usando o New Shepard, o mesmo foguetinho que já fez quatro viagens sub-orbitais e pousou direitinho.

A idéia é lançar normalmente, e quando o New Shepard estiver em Max-Q, o ponto de maior tensão aerodinâmica, acionarão o sistema de escape, como nesta animação:


Blue Origin — New Shepard Capsule Escape Animation

A parte chata é que segundo as análises da Blue Origin, a chance de o foguete ir pra vala é enorme. Estamos falando de um foguete em velocidade transônica, que sofrerá uma mudança aerodinâmica imensa. Se ele não for desestabilizado pelo jato do motor da cápsula, o próprio ar atingindo o topo da estrutura vai forçar uma rotação que o despedaçará.

Claro, é possível que o software consiga compensar e ele se mantenha em vôo controlado, mas a Blue Origin está contando com uma linda e espetacular explosão no deserto, já que ele cairá com a maior parte do combustível.

O teste será dia 4 de outubro, o webcast começa às 10:50 Horário do Leste, os links você provavelmente achará no site da Blue Origin, e no Twitter do MeioBit.

Fonte: Space News.

Leia também:

relacionados


Comentários