Meio Bit » Baú » Fotografia » Kodachrome - Descanse em paz

Kodachrome - Descanse em paz

24/06/2009 às 16:08

Sim, um dos últimos grandes pilares da indústria fotográfica baseada nas tecnologias desenvolvidas por George Eastman a mais de 100 anos está caindo por terra. A Kodak está descontinuando a linha de filmes cromo mais famosa do mundo. Embora não tenha sido o primeiro cromo colorido a ser colocado no mercado, o Kodachrome foi o primeiro a ser viável financeiramente. Grande parte do sucesso da película se deve a sua incrível qualidade de retenção de detalhes e cores. Essa qualidade fez com que fosse sinônimo de fotografia profissional por muito tempo, sendo usado por todos os meios de comunicação respeitáveis do mundo, entre eles a National Geographic. Porém, a era digital decretou o fim do produto que está no mercado a mais de 74 anos.

Mas, sejamos justos. Pouca gente usava o filme atualmente, principalmente porque a maioria dos laboratórios nem trabalham mais com o processo de revelação que ele exige, o K-14. Segundo informações da própria Kodak, apenas um laboratório no mundo, localizado nos Estados Unidos, faz o processamento da película. A empresa afirma que ele representava menos de 1% das vendas do setor de películas da empresa. Ao conversar com fotógrafos da velha guarda no Brasil, descobrimos que o Kodachrome nunca teve um sistema de distribuição e revelação oficiais no Brasil. Alguns chegaram a usar o filme, mas a opção mais viável de revelação da criança era um improvável envio para o Panamá, local mais próximo onde se conseguia processar o filme. Todo o trajeto de ida e volta demorava entre 6 meses e 1 ano. Com uma logística dessas era um produto fadado ao desaparecimento. O que fez durar tanto em tempos digitais foi a sua qualidade.

Fazendo um pequeno balanço, a Kodak tem uma incrível dificuldade em se livrar do passado. Hoje mesmo, ao ir ao laboratório onde faço minhas ampliações, tive um exemplo clássico dessa realidade (texto explicativo amanhã). A empresa já dominou o que chamamos de fotografia, e o seu gigantismo foi o que determinou ficar para trás na corrida tecnológica da era digital. Torçamos para que eles acordem e entrem nos eixos.

kodachrome

Fonte: Photography Blog

relacionados


Comentários