Meio Bit » Arquivos » Games » A “magia” por trás da criação do No Man’s Sky

A “magia” por trás da criação do No Man’s Sky

Criador do No Man's Sky explica como eles conseguiram criar 18 quintilhões de planetas e a solução encontrada por eles é mais simples do que muitos poderiam imaginar.

11/08/2016 às 8:30

no-man-sky

Durante muito tempo o No Man’s Sky despertou a curiosidade das pessoas e embora muitos já o estejam jogando, existem algumas perguntas sobre ele que permanecem um enorme mistério. Uma delas é sobre como uma pequena desenvolvedora como a Hello Games conseguiu entregar um título com 18 quintilhões(!) de planetas que podem ser explorados.

Pois durante uma entrevista ao site Inverse, o fundador do estúdio falou sobre como algo tão grandioso foi criado e por mais que tenhamos a tendência a achar que o trabalho foi descomunal, Sean Murray minimizou a façanha alcançada por sua equipe.

Para ser honesto, não se trata de muita magia, apenas uma química bastante simples. O ângulo da radiação do sol e sua intensidade determina que tipo de material compõem o solo. Recursos naturalmente diferentes influenciam o tipo de flora e fauna que crescerá em certas áreas. Cada folha de cada árvore contém uma variedade de manchas. Na Inglaterra ou na Alemanha a clorofila é bastante dominante, é por isso que a maioria das nossas folhas são verdes. Em outros países elas são mais amarelas e a flor das cerejeiras japonesas são avermelhadas, então é fácil.

A parte mais difícil foram os animais. A engine basicamente checa certos parâmetros, pergunta a si mesma que tipo de animal estaria nos arredores e escolhe entre uma variedade de tipos. Com bastante frequência animais comuns são combinados — como se tivessem o corpo de um leão, mas a cabeça de um rinoceronte e as pernas de uma gazela. Inventamos um sistema que automaticamente balanceia o peso e ajusta o esqueleto. Então tivemos que experimentar muito para ter esses esqueletos funcionando, porque um animal com um corpo pequeno não pode ter uma cabeça enorme, caso contrário ele cairia constantemente. Agora pense — seria engraçado ter esse tipo de animal que ficaria indignado por estar sempre caindo.

Ou seja, de certa forma podemos dizer que o trabalho pesado foi desenvolver um sistema capaz de gerar todo o conteúdo do jogo de forma relativamente aleatória, cabendo aos desenvolvedores “apenas” dar um polimento final a o que foi criado proceduralmente pela engine e provavelmente torcer muito para que o jogo não se transformasse numa enorme coleção de bugs.

Eu já vi alguns dizendo que algo assim nem poderia ser considerado um jogo de verdade, que o real criador do jogo foi uma máquina e que nem o pessoal da Hello Games sabe exatamente o que encontraremos na infinidade de planetas que foi gerado por algumas linhas de códigos, mas mesmo que essas pessoas tenham razão, não consigo deixar de pensar no quão sensacional foi a saída encontrada por eles para gerar tanta coisa.

E que me desculpe quem pensa o contrário, mas por se tratar de um jogo onde o foco está na exploração, pouco me importa se o conteúdo do No Man’s Sky foi criado manualmente por meia dúzia de pessoas, de forma aleatória ou até por algum tipo de bruxaria, o que quero é poder desbravar esse gigantesco universo.

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários