Meio Bit » Baú » Hardware » Força Aérea dos EUA preocupada por não poder usar armas nucleares

Força Aérea dos EUA preocupada por não poder usar armas nucleares

Barack Obama parece estar disposto a assinar uma norma oficializando a política de que os EUA jamais usarão uma arma nuclear em um ataque inicial. É uma linda e pacifista política, mas no mundo real talvez não seja tão interessante. Ao menos a secretária da Força Aérea não gosta disso.

09/08/2016 às 14:00

Dr.-Strangelove

Agora no finalzinho de seu governo Barack Obama está ameaçando várias atitudes na área de defesa que criarão problemas para seu sucessor. Primeiro, ele está vetando a verba para o Long-Range Stand-Off Nuclear Cruise Missile, forçando os EUA a continuarem com mísseis projetados na década de 80.

A verba para o desenvolvimento de novas armas também está sendo cortada, significa que o arsenal nuclear se torna cada dia mais obsoleto, mas não é só isso. Deborah Lee James, secretária da Força Aérea (sim, é uma mulher, mas as oprimidas de Facebook não lembram disso) criticou publicamente a possibilidade de Barack Obama declarar uma política de proibir os EUA de usar primeiro uma arma nuclear, sob qualquer circunstância.

71 anos de Guerra Fria (cês acharam mesmo que tinha acabado?) mostram que nem EUA nem Rússia são maníacos com dedo no gatilho, as duas nações demonstraram uma impressionante maturidade no gerenciamento de seus arsenais nucleares, mas por mais que seja óbvio que nenhum dos dois vai usar uma arma nuclear exceto em situação extrema, isso não pode ser uma política oficial.

tumblr_static_tumblr_lxln3mshri1qepf8yo1_500

Tony Stark está absolutamente certo. A arma ideal não é a que você não precisa usar. Dessa ninguém tem realmente medo. A arma ideal é a que você só dispara uma vez. Se não fosse pelas bombas no Japão não estaríamos aqui. Ninguém teria realmente medo de armas nucleares e qualquer evento, como crise dos Mísseis de Cuba, ou Invasão da Checoslováquia seria suficiente para iniciar uma guerra nuclear.

A mensagem é bem clara, mas a decisão de Obama pode colocar isso em risco. A secretária Lee James comenta:

Ter um certo grau de ambiguidade não é necessariamente algo ruim Você certamente quer comunicar certas coisas a seus aliados e a seus potenciais adversários espalhados pelo mundo, mas não quer necessariamente colocar todas as suas cartas na mesa o tempo todo.”

No momento em que um presidente determina que em hipótese alguma o país usará armas nucleares exceto se for atacado da mesma forma ele tira as armas nucleares da equação. Elas viram uma placa de cuidado com o cachorro mas tudo bem ele não morde.

Obama está esquecendo o ditado latino clássico, Si vis pacem, para bellum. Se deseja a paz, prepare-se para a guerra. A Guerra Fria nunca esquentou pois os dois lados tornaram a idéia de um conflito armado… desagradável. Ao tirar armas nucleares da mesa os EUA estão convidando países como a Melhor Coréia a tentar de tudo, sem maiores preocupações. Péssima estratégia.

E sim, não é racional saber que os EUA jamais usariam armas nucleares ser diferente disso ser "política oficial", mas convenhamos, países não são entidades racionais.

Fonte: Space War.

Leia mais sobre: , , , , , .

relacionados


Comentários