Meio Bit » Baú » Mobile » Dono de bar britânico utiliza método infalível para espantar clientes

Dono de bar britânico utiliza método infalível para espantar clientes

Dono de bar no Reino Unido força clientes a conversarem instalando gaiola de Faraday no estabelecimento. Adivinhe quem vai ficar sem clientes?

03/08/2016 às 17:00

no-service

Velhos vivem reclamando de nossos hábitos sociais, que não conversamos com outros cara a cara e preferimos ficar em seus smartphones e tablets. Essa turma não entende que muitos de nossos contatos são online, desde pessoais a profissionais e se limitar a contatos in loco é perda de tempo e muitas vezes, de dinheiro.

Pior para eles, seguimos fazendo nossos contatos com pessoas de todo o mundo enquanto eles permanecem no poço. Só que podar essas pessoas não é a melhor das decisões, como um dono de um bar no Reino Unido descobrirá em breve.

Steve Tyler, dono do The Gin Pub, um novo estabelecimento recentemente aberto na cidade de Brighton não é muito fã da internet, e nem falo sobre não fornecer Wi-Fi livre para seus clientes. Ele sequer está banindo o porte de dispositivos móveis em seu bar, mas aqueles que quiserem utiliza-los terão que se dirigir ao exterior por um motivo bem simples: o estabelecimento per se bloqueia os sinais dos gadgets.

Tyler disse em entrevista que ele foi longe o bastante para forçar seus consumidores a conservarem entre si ao ponto de instalar uma gaiola de Faraday nas paredes. Desenvolvida em 1836 através de uma observação de Michael Faraday de que sinais eletromagnéticos e cargas elétricas não conseguem penetrar em um compartimento feito de material condutor, mesmo que este seja uma simples tela gradeada. Como a física não perdoa e é imutável, os campos elétricos ficam do lado de fora dos condutores, logo um condutor oco como um cano de metal ou uma caixa confere proteção ao que estiver do lado de dentro: quando uma carga é aplicada na superfície uma carga oposta é formada do lado de dentro, o que contrabalanceia as forças exercidas.


BBCWorldwide — Richard Hammond struck by lightning in car - Top Gear - BBC

Assim como uma gaiola de Faraday protege quem está dentro de um carro de um raio (embora veículos não sejam o modelo ideal), ela também cloqueia sinais eletromagnéticos em geral como os de operadoras móveis. Logo, um smartphone dentro de um condutor oco protegido não consegue se conectar com o mundo exterior. E é exatamente o que o The Gin Tub oferece. Tyler diz que deseja que “as pessoas conversem com os amigos com os quais estão no momento”, mas ele não percebe uma coisa.

É impossível hoje em dia forçar uma pessoa a não utilizar seu smartphone, qualquer que seja a ocasião. Seja Google, Facebook, Twitter, Instagram, Snapchat, Pokémon GO, Tinder, etc., quem deseja e/ou precisa manter contato com quem quer seja o fará e não vai gostar nem um pouco de entrar em um estabelecimento que não só nega conexão livre de Wi-Fi, mas impede o cliente de se conectar at all.

Tirando velhos que já não gostam da internet, o The Gin Tub será fatalmente uma one-time experience para a maioria das pessoas. Quanto à legislação, não há nada na lei britânica que defina uma gaiola de Faraday como um dispositivo voltado a interferir em comunicações, o que é ilegal. O equipamento é uma brecha na lei, e por enquanto Tyler está tranquilo quanto a isso.

Já não posso dizer nada sobre o dinheiro perdido no futuro, que viria dos clientes que ele irá eventualmente espantar.

Fonte: Sky News.


Leia também:

relacionados


Comentários