Meio Bit » Baú » Fotografia » Enxergar sem ver

Enxergar sem ver

10/06/2009 às 15:14

É preciso ver para fotografar? A maioria das pessoas pode pensar que isso é uma pergunta absurda, visto que a fotografia é a representação de uma realidade que tem que ser captada, antes de tudo, pelo olho humano. Todas as regras possíveis de composição fotográfica estão focadas basicamente no fato de podermos ver a cena e construí-la. Como diziam os grandes mestres: Olhe antes, fotografe depois. Mas, não é bem assim. Desde que a fotografia se tornou um produto de consumo de massa, temos exemplos de pessoas que acreditam que ver não é primordial e que os outros sentidos podem ser usados para a produção de uma bela imagem.

Só para exemplificar, no primeiro semestre desse ano encarei um desafio diferente. Me matriculei em um workshop de fotografia que seria ministrado pela fotógrafa e massoterapeuta Marici Mesquita Bonassa. Ela possuí um trabalho muito legal de fotografia de flores e natureza morta. Até ai tudo bem, mas o detalhe que chama a atenção é que Marici é cega. Embora não tenha nascido deficiente visual, o gosto pela fotografia só surgiu depois que ela se encontrou nessa situação. Durante o curso, fomos vendados e aprendemos a usar os outros sentidos para fotografar. Nessa posição, o tato substituiu a visão como principal sentido norteador. Muito esquisito para quem nunca experimentou, mas uma lição necessária. Embora não percebamos, o que acontece a nossa volta interfere na qualidade de nossa fotografia. Se está muito quente, se existe algum cheiro desagradável ou se estamos de mau humor, isso fatalmente vai interferir na qualidade da imagem que vai ser gerada. Quanto antes percebermos esse fator, antes poderemos minimizar esses obstáculos.

Mas, tudo isso está sendo dito para divulgar algo que achei muito bacana. Está acontecendo no Museu da Fotografia da Califórnia uma exposição intitulada Sight Unseen (Visão não vista), que reúne 12 artistas de várias nacionalidades. O fator inusitado da exposição é que todos são deficientes visuais e alguns completamente cegos. O curador da exposição, Douglas McCulloh, resume bem o espírito da coisa: "A maioria dos fotógrafos enxergam para fotografar. Estes artistas fotografam para enxergar". Mais uma prova de que para pensar as imagens não é necessário apenas a visão, e sim todos os sentidos. A exposição está em cartaz até o dia 29 de agosto. Veja abaixo duas imagens produzidas pelos artistas.

Sight Unseen 2b

Sight Unseen 2

Fonte: Uol entretenimento

relacionados


Comentários