Meio Bit » Baú » Cultura » Angra — Holy Land — 20 anos

Angra — Holy Land — 20 anos

Em 1996 o Angra estava lançando o seu projeto mais ousado, o disco Holy Land. Muitos odiaram, mas estamos diante de um dos melhores discos de Heavy Metal feitos no Brasil.

12/07/2016 às 15:08

Angra_banda

Em janeiro de 1997, eu estava em um encontro de estudantes de geografia em Uberlândia (MG) e, ao passear por um dos shoppings da cidade, acabei entrando em uma loja de CDs. Saí de lá com dois discos. Um era o Saturday Morning Cartoon Greatest Hits (várias bandas de pop rock tocando temas de antigos desenhos animados) e o outro era o Holy Land do Angra. E já se vão 20 anos que esse disco foi lançado, provando que a música pode se manter relevante mesmo depois de décadas.

O Angra é uma banda interessante. André Matos, primeiro vocalista da banda, já era conhecido e possuía uma carreira curta, porém bem estruturada, junto com a banda Viper (1985-1990). Contam as más línguas que os empresários do vocalista convocaram os outros membros para montar o projeto. Ou seja, uma banda que foi planejada e construída. O primeiro disco, Angels Cry (1993), não trouxe nada de novo. O bom e velho Heavy Metal Ultra Melódico. Mas Holy Land foi um verdadeiro tapa na cara.

A ideia foi simples e nada inovadora (visto que discos focados em uma única história são normais no mundo do rock). Um disco conceitual contando a história do descobrimento do continente americano. E para isso vamos misturar Heavy Metal Melódico, um pouco de música erudita, algumas orquestrações clássicas e uma pitada de folclore e música regional brasileira. O resultado? Um puta disco de Heavy Metal que pode ser classificado, tranquilamente, como um dos melhores já feito em terras brasileiras. São 10 faixas em 56 minutos de música que poderíamos chamar de um bom exemplo de Metal Progressivo.

holy land - angra

O disco começa com uma introdução clássica com um coral que, nada mais é, do que uma missa de Giovanni Pierluigi da Palestrina. Logo em seguida vem a pedrada Nothing to Say mostrando um peso e técnica muito interessantes, porém o disco desacelera depois dela e temos a belíssima Silence and Distance. A quarta música, intitulada Carolina IV, é a mais ousada do disco. Ela começa com uma batucada digna de qualquer grupo da Bahia e passa por guitarras, música clássica brasileira e várias “homenagens”. A composição dura 10 minutos, mas parece ser bem mais curta.

O disco prossegue com Holy Land com ritmo calmo e com uma grande dose de influência de música brasileira regional na composição. Aliás, a maior crítica ao disco é que ele possui muitas músicas lentas. E é verdade. A próxima música, The Shaman é a mais fraca do disco, mas é logo seguida por Make Believe, cujo clipe foi indicado ao MTV Video Music Awards de 1997. A música Z.I.T.O. volta a dar um gás ao disco com um pouco de velocidade, e terminamos com mais duas baladas, Deep Blue e Lullaby for Lucifer.

O disco recebeu pesadíssimas críticas na época, principalmente pela quantidade de baladas, a inserção dos batuques característicos da música brasileira e por não ser considerado, necessariamente, um disco de Heavy Metal. Ou seja, mimizentos existem em qualquer época. Holy Land foi um marco. Mostrou que era possível executar uma obra musical com qualidade técnica e influências brasileiras dentro do Heavy Metal e sem perder o objetivo final. Tamanha ousadia conferiu ao disco uma identidade indiscutível.

Infelizmente, as críticas pesaram sobre o grupo. Mesmo sendo disco de ouro no Japão, Holy Land não teve o impacto desejado e o disco seguinte do grupo, Fireworks (lançado em 1998) voltou a executar um Heavy Metal mais genérico, mais igualzinho a centenas de outras bandas.

Destaque para a capa do CD que se desdobrava e formava uma carta náutica do início da era das navegações. Junto com André Matos (Vocais) faziam parte do Angra Rafael Bittencourt (guitarra), Kiko Loureiro (Guitarra), Luis Mariutti (Baixo) e Ricardo Confessori (bateria).


Angra - Make Believe (Official)

Originalmente o disco foi lançado pela gravadora Eldorado, mas foi relançado pela Paradoxx quando o grupo fechou contrato com a gravadora. É possível encontrar usado no Mercado Livre, mas o preço não é camarada.

relacionados


Comentários