Meio Bit » Baú » Cultura » Eric Clapton — I Still Do

Eric Clapton — I Still Do

Eric Clapton coloca no mercado um novo disco com músicas das pessoas que o influenciaram. Mais uma aula de música do mestre da guitarra.

11/07/2016 às 9:46

NEW YORK, NY - DECEMBER 12: Eric Clapton performs at "12-12-12" a concert benefiting The Robin Hood Relief Fund to aid the victims of Hurricane Sandy presented by Clear Channel Media & Entertainment, The Madison Square Garden Company and The Weinstein Company at Madison Square Garden on December 12, 2012 in New York City. (Photo by Kevin Mazur/WireImage for Clear Channel)

(Photo by Kevin Mazur/WireImage for Clear Channel)

Eric Clapton, uma das grandes lendas da música internacional, já se encontra em um patamar consagrado. Não precisa provar mais nada a ninguém e poderia muito bem viver de shows e coletâneas para o resto da vida. Só que o guitarrista parece não querer parar. Neste ano estamos sendo brindados com mais um álbum de estúdio de Clapton intitulado de I Still Do. Porém, é um disco feito por ele e para ele, sem se importar com o que as pessoas vão achar, pois ele pode assumir essa atitude.

O disco, para os desavisados, pode parecer algo meio esquizofrênico, pois transita por diferentes vertentes da música, o que não daria uma unidade sonora ao trabalho, mas a gênese de I Still Do explica o motivo disso. Na verdade, o álbum só possui duas músicas inéditas do Deus da Guitarra, as demais são covers de artistas que foram influências diretas na carreira de Eric Clapton. Das composições regravadas por Clapton podemos dividir em duas vertentes as músicas escolhidas: temos o blues e as músicas pop de um modo geral.

eric clapton i still do

As duas inéditas são Spiral e Catch The Blues. A primeira é a típica música de amor à guitarra, com pegada blues e onde o músico coloca toda sua vontade de continuar cantando e tocando To have this music in me / I just keep playing these blues / Hoping that I don't lose. Música bacana e emocionante. A segunda é a típica balada romântica, suave e relaxante. As duas são dignas do mestre.

O dico começa com o blues rasgado de Alabama Woman Blues, que foi gravada originalmente por Lorey Carr. Guitarras e pianos ensandecidos. Na parte blues ainda temos a ótima Stones in my Passway do mestre Robert Johnson (uma das grandes influencias de Eric Clapton) e Cypress Grove de Skip James. Na parte pop do disco temos como destaque duas composições de JJ Cale (Can't Let You Do It e a destruidora Somebody's Knockin), uma de Bob Dylan (I Dreamed I Saw St. Augustine) e um reggae chamado I Will Be There (escrito por Paul Brady e John O'Kane) que conta com a participação de um outro vocal que não foi creditado no disco. Existem várias teorias na internet sobre quem seria esse outro cantor. Finalizando temos a ótima balada de violão Little Man, You've Had a Busy Day (de Maurice Sigler, Mabel Wayne e Al Hoffman) e I'll Be Alright, uma música gospel tradicional.

O disco já está sendo comercializado no Brasil e a versão nacional custa em torno de R$ 25,00. Mais uma bela obra do mestre Eric Clapton e que vai ser uma ótima aquisição para sua coleção. Indicado para aqueles que acima de estilos gostem de apreciar uma boa música, executada com paixão e maestria. Vejam abaixo o clipe da música Spiral.


Eric Clapton - Spiral

P.S.: infelizmente esta não é uma resenha imparcial.

Leia mais sobre: , , , , .

relacionados


Comentários