Meio Bit » Baú » Games » Guerrilla e a imprecisão na jogabilidade

Guerrilla e a imprecisão na jogabilidade

26/05/2009 às 11:19

No último final de semana eu tiver a oportunidade de rejogar na casa de um amigo dois jogos do Playstation 2 que foram criados pelo estúdio holandês Guerrilla Games. Conhecida pela série Killzone, a empresa iniciou suas atividades lançando em 2004 um jogo baseado na guerra do Vietnã,o Shellshock: Nam '67.

Após dedicar alguns minutos aos títulos, pude comprovar a impressão que já tinha sobre eles. Ambos são games medianos, nada mais do que isso, que possuem enredos legaizinhos e com ótimas ambientações, além de gráficos muito bons para o antigo console da Sony, porém, um detalhe em relação a jogabilidade me deixou com uma tremenda dúvida: Qual é o problema da Guerrilla com o controle do Playstation?

Sério, eu não sei explicar o motivo, mas os dois jogos possuem uma jogabilidade sofrível. Não sei dizer se o problema foi uma má implementação por parte da produtora ou se o joystick do PS2 é impreciso, mas o fato é que a sensibilidade é muito ruim, tornando as partidas um exercício de tentativa e erro e muitas vezes me vi atirando para todos os lados apenas para conseguir acertar meus inimigos. Tudo bem, muitos dirão que o problema é comigo ou que esse tipo de jogo não cai bem em controles, mas mesmo não sendo um fã do Dualshock, principalmente quando se trata de FPSs e jogos de corrida, se bem me lembro, no TimeSplitters: Future Perfect a coisa toda funcionava muito melhor.

No fim, mesmo tendo gostado (um pouco) dos jogos, fiquei um tanto preocupado, já que fiz a compra do Killzone 2 e espero que a Guerrilla tenha aprendido a adaptar melhor seus jogos à interface do controle. Caso contrário, será praticamente um milagre conseguir acertar um headshot nas partidas multiplayer.

dori_guerr_25.05.09

PS: Alguém conhece algum site que conte detalhadamente a história do universo Killzone?

relacionados


Comentários