Meio Bit » Baú » Ciência » Houston, o Falcão Pousou!

Houston, o Falcão Pousou!

Elon Musk conseguiu! A SpaceX depois de um lançamento impecável pousou o primeiro estágio do Falcon 9 na balsa, digo, drone ship Of Course I Still Love You, posicionada em alto mar. Foi lindo e foi histórico. Clique e reveja os momentos finais!

08/04/2016 às 21:52

CfjId0DUMAAnvvf

Hoje, 8 de abril de 2016 caiu mais um mito da Ficção Científica. Até então algo que é rotineiro no cinema, TV e livros se tornou realidade. Até hoje naves reutilizáveis se resumiam ao aposentado ônibus espacial, que precisava de seis meses na retífica após cada vôo e cujo lançamento custava dependendo da conta quase US$ 1 bilhão.

Hoje a SpaceX pousou seu foguete Falcon 9 em uma balsa drone ship em alto-mar, preenchendo o último requisito para seu projeto. Depois do pouso em terra, agora foi o em condições difíceis, pois mesmo com toda a tecnologia de navegação as coisas tendem a se mexer no mar, já uma plataforma de pouso em terra se move bem menos.

Depois de injetar com perfeição o segundo estágio com a nave Dragon em órbita, o Falcon 9 girou 180 graus, acionou 3 de seus nove motores e começou a reduzir seus mais de 8 mil km/h de velocidade horizontal, ao mesmo tempo em que subia para compensar o desvio lateral e se posicionar na direção da balsa.

1sEH9j9 copy

Iniciando uma descida ele acionou novamente os motores para reduzir a velocidade acumulada, então abriu as X-Wings, nome que Elon Musk deu pras aletas hipersônicas que direcionam o foguete enquanto cai, mais rápido que o som:

spacex-hypersonic-fin

Nesse ponto todos os sensores conhecidos pelo Homem são usados para posicionar e direcionar um foguete caindo em direção a um alvo na superfície do oceano, se movendo em 3 dimensões, pois por mais que a balsa tenha estabilizadores, eles não fazem milagre.

Na parte final do vôo o Falcon 9 está tão leve que mesmo acionando apenas um de seus motores em potência mínima é suficiente para fazê-lo subir, e não descer. A solução que a SpaceX inventou foi a chamada Queima Suicida, você calcula o acionamento para a redução de velocidade chegar a zero quando a altitude estiver a zero, assim o foguete não começa a subir de novo.

Isso é muito mais complicado que Lunar Landing, seja o jogo do Atari seja a encenação do Stanley Kubrick, mas a SpaceX… conseguiu. Chega de enrolação. Veja, reveja, reassista, etc:


Jonny Dowe — SpaceX Falcon 9 - Successful Drone Ship Landing - 8th April 2016

Confira também do ponto de vista de uma GoPro do próprio Falcon 9:

Onboard view of landing in high winds

Musk disse que esse Falcon 9 será vistoriado e testado: acionarão os motores 10 vezes em terra, e se passar, vão passar um pano, limpar a fuligem e lançar de novo. Provavelmente vendendo para algum cliente com um desconto bem mais substancial que os 30% de economia que a reutilização trará aos lançamentos da SpaceX.

A SpaceX planeja no futuro reabastecer os foguetes na própria balsa e mandá-los de volta para a base, poupando o tempo de viagem por mar. Ousado? Com certeza, mas eles acabaram de pousar um foguete em uma balsa no meio do oceano. Eles podem ousar o quanto quiserem.

relacionados


Comentários