Meio Bit » Baú » Cultura » BabyMetal — Metal Resistence

BabyMetal — Metal Resistence

Metal Resistence — o BabyMetal aposta em um álbum pesado, temática Dark e letras que tocam em problemas tipicamente adolescentes. Uma boa para se divertir de maneira descontraída.

08/04/2016 às 10:42

babymetal

Já ouviram falar da banda japonesa BabyMetal? Então deveriam prestar um pouco de atenção nesse grupo. Como muitos dos grandes grupos musicais do mundo (e quase nunca sabemos) eles foram uma criação de uma agência, nesse caso a japonesa Amuse. Eles são um subgrupo da banda Idol Sakura Gakuin (na cultura pop japonesa, os grupos determinados como Idol são geralmente formados por astros adolescentes). O Sakura Gakuin é uma banda com formação rotativa determinando a permanência do membro pela idade. O BabyMetal surgiu em 2010 e foi responsável por criar, no Japão, o sub-gênero Kawaii Metal (Metal Fofinho), que nada mais é do que uma fusão de Heavy Metal com a música J-pop japonesa.

Depois desta introdução, os fãs mais radicais da música pesada já estão arrancando os cabelos e bradando que esse é mais um golpe da indústria musical para ganhar dinheiro. E eu digo que isso é verdade. Mas, muitas das bandas que amamos também foram, tendo o Angra como caso mais notório no Brasil. Não ouvi o primeiro disco das meninas (BabyMetal, 2014), mas fui arrebatado pelo videoclipe da música Karate que está presente no segundo disco chamado Metal Resistence e que foi lançado recentemente.

babymetal_metal_resistence

O que encontramos no disco? Uma quantidade cavalar de clichês que já foram explorados por milhares de bandas ao redor do mundo. Mas, surpreendentemente, o resultado é muito bom. Guitarras pesadas e estridentes, bateria violenta, vocal feminino e muito de estilos mais rasgados do Metal (Industrial, Nu Metal, Power Metal, Gothic Metal) vão fazer a alegria de quem gosta de uma música mais descontraída (divertida?) sem abrir mão do peso do estilo. O legal é que as letras das músicas fogem do que encontraríamos normalmente em um disco de Metal. Temos discussões sobre temáticas adolescentes, o conceito de mulher ideal, bullyng e outras coisas do universo jovem. Destaques absolutos para as músicas Road of Resistance (pegada Power Metal), a já citada Karate, Meta Taro (vai virar hino heavy metal) e Tales of The Destinies (para os fãs de Rhapsody). No final existe um bônus, a música The One, cantada em inglês (todas as músicas são em japonês).

O BabyMetal é formado pelas vocalistas Suzuka Nakamoto (Su-metal), Yui Mizuno (Yuimetal) e Moa Kikuchi (Moametal) e pela banda de apoio chamada Kami Band. A banda fica tocando tranquilamente no fundo, colocando um peso absurdo nas músicas, mas o destaque (principalmente nas apresentações ao vivo) vai para as três vocalistas. As meninas apostam na coreografia para adicionar um diferencial em suas apresentações. E ficou muito legal. Existem vários vídeos no YouTube das apresentações bombásticas das meninas. Agora, temos que apontar que a verdadeira força da banda é a vocalista Su-metal. A voz dessa menina não fica devendo para nenhum dos medalhões europeus do metal gótico. Ela me lembra muito a Floor Jansen em inicio de carreira no After Forever.

Nessa semana o BabyMetal se apresentou na Wembley Arena onde conseguiu lotar completamente a lendária casa de shows (lembrando que muita banda famosa não conseguiu isso) e quebrou o recorde de venda de merchandising da casa durante a noite do show. Fora isso, o álbum Metal Resistence está em 7º lugar em vendas no Reino Unido, o que é a melhor colocação que uma banda japonesa já alcançou por lá.


BABYMETAL - KARATE (OFFICIAL)

Conclusão

Heavy Metal feito por três japinhas (por favor, nada de pejorativo na colocação) com temas atuais, uma pegada de fofura e algumas passagens tão pesadas que faria muita banda de “rock” parecer sambinha de boteco. Gostei da temática gótica, das coreografias, da cenografia e de toda a produção envolvida. Foi planejado nos mínimos detalhes para ganhar dinheiro? Sim, claro, mas música é um negócio e ninguém entra nessa apenas pela arte. Recomendo fortemente a compra deste disco.

Infelizmente o disco não foi lançado oficialmente no Brasil. Existem a venda apenas versões importadas (e salgadas) vindas do Japão. Eu desembolsei R$ 120,00 pelo meu.

Leia mais sobre: , , , .

relacionados


Comentários