Meio Bit » Baú » Games » Valve está tentando diminuir a barreira de entrada para a realidade virtual

Valve está tentando diminuir a barreira de entrada para a realidade virtual

Programador da Valve revela que a empresa está testando maneira para fazer com que o HTC Vive rode satisfatoriamente em placas de vídeo mais antigas e afirma que eles já fizeram progresso.

24/03/2016 às 8:32

htc-vive

Muitas pessoas que jogam no PC estão vendo a chegada dos dispositivos de realidade virtual de uma certa distância, tudo por saberem que suas máquinas não estão prontas para encarar os aparelhos fabricados pela Oculus ou pela HTC. A boa notícia para os interessados no produto desta última é que a Valve está tentando diminuir um pouco a placa de vídeo necessária para utilizá-lo de forma minimamente aceitável.

A revelação foi feita recentemente por Alex Vlacho em uma apresentação na Games Developers Conference, onde o programador gráfico da empresa comentou sobre as técnicas que eles estão testando para fazer com que o Vive funcione por exemplo com uma GeForce GTX 680.

Dissemos que a especificação recomenda é uma 970, assim como o Oculus, mas queremos que GPUs ‘menores’ funcionem. Estamos tentando reduzir o custo da realidade virtual.

Eu consegui rodar o Aperture [demo temática do Portal para RV] em uma 680 na qualidade mais baixa sem cair a taxa de frames e para mim, isso é uma prova de conceito suficiente. A maioria das artes que estamos vendo na realidade virtual não é tão densa quanto isso, então estamos num bom caminho… Tudo deve ser capaz de suportar hardware de baixo desempenho, mas precisamos ter as redes de segurança nos lugares certos.

Vlacho também falou que a Valve tem utilizado um plugin de renderização para a engine Unity que tem mostrado um bom resultado e como ele deverá ser lançado nas próximas semanas, isso deverá ajudar a fazer com que diminua o consumo de recursos das GPUs.

A companhia ainda estaria pesquisando outras técnicas de renderização que se encaixam num grupo conhecido como “qualidade adaptativa”, como por exemplo uma que faz com que as imagens que serão mostradas no centro dos olhos tenham uma qualidade maior, já que todo o resto é menos notado pelo usuário, mas por enquanto nada disso foi suficiente para fazer com que eles reduzissem o equipamento necessário para termos uma experiência recomendada com o SteamVR.

Resumindo, quem possui uma GTX 680 (como eu) até deverá conseguir se divertir com o HMD produzido pela HTC, mas se quisermos aproveitar o aparelho da maneira que ele merece, infelizmente teremos que investir numa placa de vídeo mais nova.

Fonte: MCV.

relacionados


Comentários