Meio Bit » Baú » Fotografia » Como se tornar um profissional em fotografia - Parte II

Como se tornar um profissional em fotografia - Parte II

22/04/2009 às 21:44

Depois de dar uma olhada na primeira parte desse texto, vamos dar continuidade a esse pequeno texto sobre como se tornar um profissional em fotografia. Só lembrando que profissional é quem consegue tirar lucro de seu trabalho e não quem possuí o equipamento mais avançado. Tem muito amador com câmeras top de linha que não conseguem tirar um bom proveito dos recursos do seu equipamento. Completando as dicas do primeiro texto, aqui vão mais alguns conselhos.

- Monte o primeiro portfólio - depois de estudar e delimitar qual vai ser sua área de atuação, é hora de pensar no seu primeiro portfólio. Claro que durante o aprendizado você já vai ter feito algumas ótimas fotos, mas é preciso pensar no portfólio como um trabalho em continuidade Ele nunca está completo, sempre há o que acrescentar e o que retirar com o tempo. Nesse momento, o fotógrafo iniciante entra no que eu chamo de dilema Tostines. Se não fotografar não conseguirá montar um portfólio e se não tiver um portfólio não poderá oferecer os seus serviços. No caso de fotografia de Book a situação pode ser resolvida com a ajuda daquela amiga, irmã ou prima. Você também pode escolher um amigo, mas o book fotográfico atrai mais a atenção das meninas. Faça um ensaio em estúdio (se já tiver um) e outro ao ar livre. As duas opções são viáveis. No caso de casamentos o problema é mais grave. Difícil encontrar alguém que contrate um fotógrafo para o seu casamento que nunca tenha feito o serviço antes. Aqui podemos partir para duas opções. A primeira é procurar um fotógrafo que já faça a cobertura de eventos em sua cidade e se oferecer como freelancer. Se tiver sucesso, você vai trabalhar como segundo fotógrafo no evento e começar a montar o seu portfólio. A segunda opção é procurar as paróquias de sua cidade e encontrar um casamento onde os noivos não vão contratar fotógrafo. Ofereça o serviço gratuitamente. Se ficar horrível não haverá cobrança, mas é um ótimo aprendizado. Também faz parte do negócio observar como outros fotógrafos trabalham e os produtos entregues por eles;

- Saiba quanto cobrar - essa é uma parte muito complicada. O mercado fotográfico não é homogêneo. Diferentes preços são cobrados nas diferentes partes do território. Os preços praticados na capital são muito mais altos do que os praticados no interior. Para se ter uma idéia, o preço básico de um casamento aqui em Presidente Prudente, interior de São Paulo, fica em torno de R$ 800,00. Para um leigo no assunto pode parecer muita grana para um dia de trabalho, mas existem diversos custos envolvidos e o desgaste de toda a atividade. No final, para quem trabalhou, parece ser muito pouco. O primeiro passo é saber a média dos preços de sua cidade. O segundo passo é saber o seu custo. E quando digo custo, estou me referindo a todos mesmo. Gasolina do carro, tempo que vai gastar editando as fotos, energia elétrica, baterias para o equipamento, revelação das fotos,todas as vezes que você teve que ir até o encontro dos noivos e do laboratório fotográfico, depreciação do equipamento, etc. Depois de saber seus custos, determine uma taxa de lucro justa para seus serviços. Sei que parece meio subjetivo, mas é assim que funciona. Geralmente, minilabs que mantém uma equipe para cobertura de eventos e cobram um preço abaixo do mercado, pois seus custos e lucros são diluídos nas outras atividades da loja e os fotógrafos, na maioria dos casos, são os próprios funcionários do estabelecimento que só ganham hora extra pelo serviço. Para ganhar o cliente é necessário apresentar um trabalho diferenciado, onde valha à pena pagar a mais pelas fotos que você faz.

- Parcerias e contatos - dentro desse universo fotográfico escolhido pelo iniciante existem algumas parcerias que podem ser feitas. Procure as floricuturas,buffets, cabeleireiros e maquiadores de sua cidade e deixe um cartão de visitas. Melhor do que isso é se você puder deixar um composit de seu trabalho, que é uma foto 20x30cm com algumas imagens de seu portfólio, além do contato. É necessário encontrar também um bom lugar para imprimir suas fotos e que possa lhe oferecer um bom desconto para o número de cópias que você vai realizar. Alguns laboratórios são chatos e exigem um fluxo de trabalho para lhe cadastrar como profissional. Outros já lhe dão essa regalia por conta da assiduidade que você freqüenta o local. No meu caso, que gosto de imprimir todas as fotos em papel, desde que comecei com a fotografia consegui ser classificado como profissional pelo fato de estar sempre no laboratório e ser exigente com o resultado.

- Use a internet - hoje, a facilidade para se montar um site é enorme. Mesmo que você não tenha grana para bancar um site construído por um bom web designer, existem templates do wordpress que podem ser usados como portfólio on-line. Os melhores são caros, mas não chegam nem perto do custo de desenvolvimento de um site. Mas, alguns deles são gratuitos, como o Going Pro Gallery. O próprio Flickr é usado como página de contato por muita gente conhecida no cenário da fotografia. Vários possíveis clientes procuram o serviço através do Google. Para se ter uma idéia, já consegui serviço através da minha conta do Orkut, que pode parecer uma coisa de retardados, mas pode ser utilizado tranquilamente como ferramenta de contato profissional.

- Marketing Pessoal - aqui, a coisa pende mais para um bom gerenciamento empresarial. Qualquer atividade econômica depende principalmente de um bom gerenciamento e uma boa campanha de marketing. Você pode ser o melhor fotógrafo do mundo, mas se não conseguir vender seu produto, você está fora do mercado. O fotógrafo Marcos Andreoni em seu livro "Fotogafia de Casamento" mostra toda a importância de um bom marketing empresarial e pessoal para o bom desenvolvimento de suas atividades. A preocupação vai desde o nome da empresa, a forma como você fala ou se veste, o foco em um público alvo específico ou até mesmo se você fuma. Quando você está atendendo o cliente deve sempre manter uma postura de segurança com certeza em tudo que afirma. Passar essa impressão é metade do caminho andado para mostrar a qualidade profissional de seu trabalho.

Como ajuda a esses tópicos eu gostaria de indicar os seguintes links:

- Como montar seu portfólio;

- Saiba calcular seus custos - Parte 01, Parte 02, Parte 03 (pelo fotógrafo Geraldo Garcia);

- Básico para fotografia de casamento (pelo fotógrafo Zeiss);

- Blog do Vernáglia (com textos muito legais para quem quer entrar no mercado da fotografia);

relacionados


Comentários