Meio Bit » Baú » Ciência » Não se pode elogiar: cargueiro russo explode depois de liberar a ExoMars

Não se pode elogiar: cargueiro russo explode depois de liberar a ExoMars

A zica de Marte com a Rússia continua. Lembra do lançamento da sonda européia pelo foguete russo uns dias atrás? Pois é. Tudo indica que o último estágio do foguete explodiu logo depois de colocar a sonda a caminha de Marte. Por enquanto está tudo bem. Espera-se.

22/03/2016 às 22:27

8455637777_2fd6c8dd14

Marte não é fácil pra ninguém. Entre 1960 e 1969 EUA e União Soviética tentaram mandar 12 sondas pra Marte. As 12 foram pra vala, algumas se perdendo no espaço interplanetário, outras nem entrando em órbita. Os russos foram especialmente azarados, Marte tem uma zica particular com Moscou, o planeta vermelho não gosta de comunistas.

Mesmo assim a primeira sonda humana a chegar na superfície de Marte foi russa, a Mars 2, em 27/11/1971. Só que o computador falhou e ela se escacetou. A segunda sonda também foi russa, a Mars 3, em 2/12/1971. Essa conseguiu pousar e funcionou normalmente. Por 14,5 segundos.

Desde então a última missão russa a Marte que pode ser considerada sucesso, mesmo parcial foi a Fobos 2, de 1988. A última, a Fobos-Grunt entrou em órbita de Terra em 2011 mas não respondeu aos comandos para manobrar para interceptar Marte.

Uns dias atrás um foguete russo lançou a ExoMars, sonda européia e tudo parecia ter dado certo mas como Marte e Rússia continuam não sendo amigos…

Alguns especialistas estranharam a constelação de fragmentos acompanhando a ExoMars:

Exomars_still

A informação de que seriam fragmentos do Próton-M estava errada. Deveria haver além da ExoMars um fragmento grande, o Breeze-M e talvez alguns menores. O tanque auxiliar teria sido ejetado antes. Aqui a ExoMars acoplada ao Breeze-M:

ExoMars SCC and Breeze US are encapsulated into the Payload Fairing

No lado direito, o módulo de pouso Schiaparelli. Aqui uma visão melhor do conjunto:

ExoMars2016_Baikonur_fairing_encapsulation_20160302_081px_1280-2-800x445

Ordinariamente depois que o conjunto estivesse em órbita a caminho de Marte, isto aconteceria:

ExoMars_2016_fourth_stage_separation

O Breeze-M se separaria da ExoMars. Acionaria os manobradores por 12 segundos, para se afastar um pouco, depois apontaria para outra direção e acionaria o motor principal por mais de 1 minuto, ou até o combustível acabar. Isso o colocaria em uma órbita solar longe da trajetória para Marte, ficando perdido para sempre no espaço interplanetário, ou até colidir com uma nave Goa'uld e provocar uma guerra interestelar.

briz-m-upper-stage-of-proton-heavy-class-rocket-launcher

Não foi o que aconteceu. Há indícios que a primeira manobra funcionou, mas em vez de realizar a segunda o Breeze-M explodiu. Não dá pra reclamar, ele fez seu trabalho admiravelmente, foram 4 acionamentos isolados, todos certinhos, ele só pisou na bola na finalização.

A ExoMars está sendo acionada aos poucos. Por enquanto reporta tudo nos conformes, mas os instrumentos principais só serão acionados em abril. Até lá não dá para ter certeza, bem como não se sabe se os fragmentos estão se afastando ou se aproximando. Pelos frames capturados pela astrônoma brasileira a velocidade relativa entre eles e a ExoMars é muito pequena, isso é bom.

Sério, não tem como ser sem, mas custava ao menos uma missão marciana envolvendo a Rússia ser com MENOS emoção?

Fonte: Popular Mechanics.

Leia mais sobre: , , , , .

relacionados


Comentários