Meio Bit » Baú » Games » Para criador do DayZ, RV será como um “Wii muito caro”

Para criador do DayZ, RV será como um “Wii muito caro”

Criador do DayZ joga uma enorme dúvida sobre a popularização da realidade virtual e diz que a tecnologia parece um Wii que custará muito caro.

04/03/2016 às 10:00

wii

Empolgado com a iminente chegada dos dispositivos de realidade virtual? Pois o criador do DayZ é mais uma pessoa ligada a indústria a mostrar todo o seu ceticismos em relação a tecnologia que muitos acreditam que será responsável por mudar a maneira como consumimos games.

Participando de um tópico no Reddit, Dean Hall fez um comparação interessante para dizer o que espera de aparelhos como o Oculus Rift, o HTC Vive e o PlayStation VR.

Na verdade, vejo isso como um Wii muito caro. O Wii foi bem sucedido porque oferecia uma experiência simples, divertida e acessível por um baixo custo. Nós não sabemos que tipo de jogos venderão bem, o quão grande o mercado será e por aí em diante.

Então nossos passos com a RV será de exploração e não estamos apostando o estúdio nisso. Temo que alguns estúdios estejam tão envolvidos com as possibilidades da RV que estejam colocando tudo nela, quando não sabemos nada sobre o mercado de jogos para RV. Quantas pessoas comprarão jogos em RV? E quanto elas pagarão por eles?

Além disso, o game designer responsável por um dos mais bem sucedidos mods dos últimos tempos falou sobre o tempo que as pessoas conseguirão utilizar um HMD, questionando se a indústria conseguirá criar jogos que possam ser encarados por mais de 20 minutos sem causar desconforto nas pessoas, o que sem dúvida é um possível problema bastante importante.

E para terminar, outro ponto de preocupação para Hall é a diferença entre os principais dispositivos que deverão chegar em breve ao mercado, o que segundo ele deverá fazer com que determinados jogos funcionem melhor com um ou com outro, fazendo assim com que o mercado fique muito dividido.

O que acho mais interessante nisso tudo é ver uma posição tão dura vindo justamente de alguém que cresceu devido a um jogo em primeira pessoa, gênero que supostamente mais se beneficiará da realidade virtual, mas olhando pelo lado dos negócios, acho que ele tem toda a razão e se até empresas de grande portes estão um pouco receosas quanto a adoção desses aparelhos pelos gamers, como criticar os pequenos estúdios que não cairão de cabeça na novidade?

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários