Meio Bit » Baú » Internet » Novo Defender corporativo protege Windows 10 de ameaças mais elaboradas

Novo Defender corporativo protege Windows 10 de ameaças mais elaboradas

Defender Advanced Threat Protection é nova ferramenta de segurança para proteger versões corporativas do Windows 10 de ameaças cada vez mais complexas

02/03/2016 às 9:31

windows-defender-atp

No início o Windows Defender não era mais do que uma camada de proteção básica para computadores sem antivírus ou firewall, mas a Microsoft passou anos aperfeiçoando a ferramenta. Suas últimas encarnações são suficientemente robustas, permitindo que um usuário consciente possa usufruir do sistema das janelas de forma confiável, sem instalar programas acessórios.

Agora uma nova versão da ferramenta, voltada para o ambiente corporativo promete manter o Windows 10 seguro ao blindá-lo contra ataques mais complexos.

O Windows Defender Advanced Threat Protection, ou simplesmente ATP é especialmente desenhado para proteger empresas de ameaças graves, ataques diretos e outros tipos de problemas, utilizando-se de aprendizado de máquina para manter os pontos da rede bem guardados. O Defender ATP vai traçar um perfil de como cada máquina conectada se comporta, e vai fornecer ao administrador da rede informações detalhadas assim que detectar uma ação fora do comum. Assim, situações que poderiam caminhar para consequências mais graves podem ser debeladas mais facilmente, sem prejudicar o funcionamento da rede como um todo.

Como o ATP funciona conectado à Azure, ele coleta informações de todo o parque de dispositivos conectados de modo a facilmente identificá-los. A Microsoft garante que nenhum dado é facilmente identificável, mas informa que tal passo é imprescindível para a manutenção do ATP, de outra forma ele não pode funcionar como foi desenhado.

Announcing Windows Defender Advanced Threat Protection

A ferramenta no momento é disponibilizada para um seleto grupo de companhias, e na sequência será distribuído para membros do programa Insider, de modo a coletar o feedback da comunidade e aparar todas as arestas, adicionar funcionalidades e etc. Só então Redmond decidirá quais versões do Windows 10 contarão com a novidade e se valerá a pena liberá-lo para o usuário final.

Fonte: ZDNet.

relacionados


Comentários