Meio Bit » Baú » Games » David Gaider deixa a BioWare (e porque você deveria se importar com isso)

David Gaider deixa a BioWare (e porque você deveria se importar com isso)

Nos últimos dias ficamos sabendo que David Gaider deixou a BioWare, roteirista que por vários anos foi uma das poucas vozes na indústria que usou os games para abordar a homossexualidade.

25/01/2016 às 13:00

dragon-age

Recentemente os fãs da BioWare receberam a lamentável notícia de que David Gaider estava deixando a desenvolvedora e embora muitas pessoas nem conheçam o nome, essa é uma partida que deveria ser sentida por todos.

Tendo passado os últimos 17 anos trabalhando para o estúdio, ele participou da criação de alguns dos mais importantes títulos da companhia, desde o Baldur's Gate 2: Shadows of Amn até o Star Wars: Knights of the Old Republic, mas especialmente na série Dragon Age.

Como roteirista chefe da franquia, Gaider pode ser considerado o principal responsável pelo vasto e detalhado universo criado para esses RPGs e apesar do seu talento ter sido devidamente elogiado nos últimos anos, o maior reconhecimento deve ser dado à maneira como suas histórias ajudaram a fazer com que a inclusão fosse abordada também nos jogos eletrônicos.

Além de personagens femininas bastante poderosas, o roteirista não teve medo de caminhar por um terreno bastante complicado ao abordar a homossexualidade em seus jogos, permitindo por exemplo que no Dragon Age: Origins pudéssemos ter o casamento de heróis do mesmo sexo, o que fez inclusive com que a BioWare assumisse o posto de uma das desenvolvedoras mais abertas da indústria.

Então, quando o Dragon Age: Inquisition finalmente foi lançado, pudemos conhecer Dorian Pavus, um personagem gay cuja história falava sobre a intolerância de seu pai por sua opção sexual, chegando ao ponto dele usar uma espécie de magia para tentar curar o “desvio” do filho.

Nem é preciso falar sobre o quão raro é vermos tal assunto sendo abordado nos games e durante uma entrevista ao site IGN Gaider tocou exatamente neste ponto, sobre as necessidades dos roteiristas terem que se justificar ao tratar o tema.

Nenhum personagem jamais teve que se justificar por ser hétero, branco e do sexo masculino. No momento em que você o faz diferente disso, de repente precisa de razões do porque disso ser ok… não precisa?

Uma certa quantidade de deliberação é necessária para desafiar uma ideia padrão e enquanto parece um pouco anormal fazer isso, é absolutamente necessário.

Porém, mesmo com este evidente problema, há de se admitir que o cenário melhorou nos últimos anos e um exemplo pode ser visto na própria história de David Gaider, que revelou que na época em que ele participou da criação do Baldur's Gate 2 a equipe nem mesmo cogitou incluir relacionamentos entre personagens do mesmo sexo.

O que o roteirista fará na sequência de sua carreira ainda é incerto, mas o fato é que a BioWare perdeu um grande profissional, não só pela sua capacidade de contar boas histórias, mas por sua coragem de desafiar uma estrutura extremamente preconceituosa e cujos esforços de uns poucos neste sentido infelizmente são menos reconhecidos do que deveriam.

Fonte: Mashable.

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários