Meio Bit » Baú » Games » Ex-chefão da SOE, John Smedley funda novo estúdio

Ex-chefão da SOE, John Smedley funda novo estúdio

Depois de deixar a Daybreak Game Company (ex-Sony Online Entertainment), John Smedley funda novo estúdio e inicia crowdfunding para o primeiro projeto da empresa, o RPG Hero's Song.

20/01/2016 às 8:30

heros-song

Há pouco mais de um ano John Smedley parecia bastante contente com a venda da Sony Online Entertainment para a Columbus Nova, mas aquela empolgação não durou muito. Poucos meses depois o executivo deixou o seu cargo de CEO e anunciou que sairia da empresa que foi renomeada para Daybreak Game Company, o que de fato aconteceu e agora sabemos quais serão os próximos passos do sujeito.

Com o nome de Pixelmage Games, o novo estúdio fundado por Smedley já teve suas atividades iniciadas e o primeiro jogo em que estão trabalhando ganhou uma campanha de financiamento coletivo no Kickstater, onde eles esperam arrecadar pelo menos US$ 800 mil para produzir o Hero's Song.

Contando atualmente com uma equipe formada por 13 pessoas, entre elas vários ex-funcionários da SOE, como Bill Trost, designer chefe e cocriador do EverQuest, o projeto terá seu enredo escrito por Patrick Rothfuss, autor de livros de fantasia como O Nome do Vento e O Temor do Sábio.

Até o momento a Pixelmage já conseguiu US$ 1 milhão através de investimentos privados e se tudo correr conforme os envolvidos esperam, a ideia é lançar o jogo ainda em outubro deste ano, o que seria um feito e tanto se comparado aos vários projetos que buscam o Kickstarter e levam anos até serem disponibilizados (isso quando são).

O interessante é que Smedley afirma que o jogo será feito mesmo se o financiamento coletivo não obtiver sucesso, já que ele acredita que utilizar serviços como o oferecido pelo Kickstarter trata-se muito mais de formar uma comunidade em torno da produção do que arrecadar dinheiro. Ainda segundo ele, “ser uma editora hoje em dia é algo muito supervalorizado”.

Quanto ao Hero's Song, trata-se de um RPG de ação com elementos roguelike que se passará num mundo aberto e que poderá ser jogado tanto sozinho quanto com a ajuda de outras pessoas. Como tem acontecido com certa frequência ultimamente, o jogo não terá gráficos de última geração, mas sim a boa e velha pixelart e de acordo com John Smedley, o visual em duas dimensões permitirá que a mecânica seja bem profunda e a quantidade de detalhes seja maior do que se utilizassem cenários em 3D.

Por fim, embora o mesmo Smedley tenha defendido anteriormente o modelo free-to-play, ele já disse que o Hero's Song não seguirá por esse caminho, pois a intenção é fazer com que as pessoas não tenham que se preocupar com microtransações ou coisas do tipo, focando apenas na jogabilidade.

Fonte: PCGamer.

Leia mais sobre: .

relacionados


Comentários