Meio Bit » Baú » Games » Palmer Luckey fala sobre a concorrência com o PlayStation VR

Palmer Luckey fala sobre a concorrência com o PlayStation VR

Co-fundador da Oculus VR fala sobre a concorrência com o PlayStation VR e dá a entender que o aparelho da Sony será bem inferior ao Rift.

12/01/2016 às 10:02

playstation-vr

Recentemente eu falei um pouco sobre como o preço do Oculus Rift (incluindo aí a máquina necessária para aproveitá-lo) poderá ajudar o PlayStation VR e no texto fiz questão de salientar que embora a capacidade de processamento do console da Sony possa ser um problema para os mais exigentes, não acredito que isso deva ser um fator que atrapalhará as vendas.

O pessoal da Oculus VR certamente está ciente dessa ameaça e para mostrar que a qualidade do seu produto pode ser um grande diferencial, o cofundador da empresa falou sobre o assunto e aproveitou para dar uma leve cutucada no aparelho da Sony.

Acho que não existem muitas pessoas que já possuem um PS4 que não possuem um PC para jogos que terão que sair e fazer um investimento completo de US$ 1.500 no Rift,” declarou Palmer Luckey. “É na verdade um mercado separado. Eles estão trazendo a realidade virtual para um grupo diferente de pessoas que de qualquer forma acho que nunca fariam parte do nosso mercado.

Também vale notar que o headset deles não é tão de ponta quanto o nosso — embora ainda ache que será um bom headset — e o PlayStation 4 está longe de ser tão poderoso quanto nossa configuração recomendada para um PC.

playstation-vr2 Opiniões evidentemente devem ser respeitadas, mas eu discordo de alguns pontos da declaração de Luckey. Dizer que muitas pessoas que já possuem um PS4 já possuem um PC perto de funcionar com o Oculus Rift? Talvez isso seja verdade lá no primeiro mundo, mas ainda assim desconfio que muitos optam ou por um console ou por um bom PC para jogos e mesmo entendendo que em muitos casos a pessoa teria que investir apenas em uma ou outra peça, não tenho dúvidas de que boa parte delas preferirão gastar apenas com o HMD e aproveitá-lo no console que já possuem.

A questão da capacidade de processamento também não considero válida, pois como disse no outro texto, se fosse assim todo mundo investiria num PC e os números de vendas do PlayStation 4 não seria tão alto. Já em relação ao PlayStation VR ser voltado para outro público, isso realmente não tenho dados para discordar e no caso do produto da Sony ele claramente é voltado primariamente para os games.

Mas independentemente do que eu ache sobre a opinião de Palmer Luckey, o que mais preocupa foi o comentário feito por ele de que US$ 600 é o mínimo que uma companhia poderia cobrar para entregar um dispositivo de realidade que seja confortável, uma sugestão que nos deixa com algumas opções:

  1. o PS VR será mais caro do que a Sony deu a entender anteriormente (US$ 400);
  2. a Sony subsidiará boa parte do valor do aparelho;
  3. ele não será tão bom de se usar quanto o Rift, causando náuseas;
  4. o Oculus Rift não é tão superior que justifique o alto investimento necessário.


Fonte: IB Times.

relacionados


Comentários