Meio Bit » Baú » Engenharia » “Vocês voam nessa coisa? São mais corajosos do que eu imaginava”

“Vocês voam nessa coisa? São mais corajosos do que eu imaginava”

Nem só de drones e bombardeiros de última geração é feita a guerra na Síria. A Força Aérea local está passando por um perrengue, e voando com equipamentos que deveriam estar no ferro-velho. No vídeo da matéria, um MiG-21 sírio com 45 anos de idade, usado para atacar inimigos do regime. Só está voando por milagre, e por milagre entenda-se a tecnologia pé-de-boi dos russos, com elegância zero mas onde nada dá defeito por bobagem.

20/12/2015 às 17:42

mig21

O Mikoyan-Gurevich MiG-21 é um dos aviões mais bem-sucedidos pós-Segunda Guerra. Foram construídos 11.496, um número assustador, levando em conta que os americanos construíram 1.198 F-15s, e mesmo o F-86 ficou em 9.860 unidades.

Voando pela primeira vez em 1956, o MiG-21 viu combate em inúmeras ocasiões, na Guerra do Vietnã ele derrubou 37 Phantoms F-4, de um total de 56 aviões americanos. Deram trabalho pros Top Guns. Só que isso foi 47 anos atrás. O MiG-21 é uma relíquia. Para dar uma idéia de como ele é antiquado, é comparável em desempenho aos Northrop F-5, que o Brasil usa.

Veja o cockpit, que coisa arcaica:

migdomal

Hoje em dia ele ainda é usado por potências tecnológicas como Angola, Azerbaijão, Melhor Coréia, Cuba e Moçambique, mas o assustador é que ele está sendo usado a sério pela Síria. O país vem mal das pernas faz tempo, e embora no papel tenham um inventário considerável (só de MiGs-21 são 160; MiG-29, 40; MiG-25, 38) na prática a situação está calamitosa.

No vídeo abaixo um MiG-21 é inspecionado por um piloto que em outro lugar, pela idade estaria trabalhando como instrutor, não arriscando a vida. O avião em si é um terror, tem uma aparência de usado, batido, os pneus em um estado que fariam o avioesemusicas ter uma síncope.


Журналистская Правда — Сирия. Как сражается авиабаза в Деер-эз-Зоор через три года осады

O ataque, quase nos limites da base aérea. As bombas? Improvisadas, note as marcas de solda. Não são feitas em fábricas, mas em oficinas. Não sei quem esse pessoal está atacando, nem quem estão defendendo, mas admiro a coragem dessa gente.

Entrar em um avião de 45 anos, com manutenção no chinelo, voando para a daaaanger zone com razoável chance de não voltar, não é para qualquer um. É fácil enfrentar o inimigo pilotando um drone de uma sala com ar-condicionado em Nevada. Assim até eu faria, ou provavelmente já fiz, se a hipótese Ender's Game for verdade. Já fazer o que esse bigodudo do vídeo faz?

Respeito. Independente da bandeira que ostente, respeito.

Leia mais sobre: , , , , .

relacionados


Comentários