Meio Bit » Baú » Indústria » Xiaomi apresenta Redmi Note 3 e Mi Pad 2

Xiaomi apresenta Redmi Note 3 e Mi Pad 2

Novidades da Xiaomi: Redmi Note 3, o foblet de ponta com um preço honesto e Mi Pad 2, o tablet que roda MIUI 7 ou Windows 10, depende do freguês

25/11/2015 às 13:31

redmi-note-3

A Xiaomi apresentou novos produtos nesta terça-feira para o mercado chinês, que esperamos não demorem para chegar por aqui. Tirando um purificador de ar que pode ser controlado pelo smartphone, temos o foblet Redmi Note 3 e o tablet Mi Pad 2, este último com duas opções de sistema operacional.

Vamos começar pelo Redmi Note 3. A nova versão do foblet da Xiaomi possui um hardware de respeito: SoC Helio x10 da MediaTek, octa-core de 64 bits Cortex-A53, 2 ou 3 GB de RAM, 16 ou 32 GB de memória interna, câmera principal de 13 megapixels e frontal de 5 MP, display IPS LCD de 5,5″ com resolução Full HD (400 ppi), bateria de 4.000 mAh e MIUI 7, a versão personalizado do Andoid da companhia de Hugo Barra. Ele é o primeiro aparelho da Xiaomi com sensor biométrico, para permitir pagamentos com a solução própria Mi Wallet.

O preço é convidativo: com carcaça de alumínio e três opções de cores o Redmi Note 3 de 2 GB custará 899 yuans, enquanto o modelo de 3 GB sairá por 1.099 yuans (respectivamente cerca de 533 e 652 reais).

mi-pad-2

O tablet Mi Pad 2, apesar da óbvia semelhança com iPad mini (o que é uma constante na Xiaomi) também é um produto bem interessante para quem quer um dispositivo móvel para consumir conteúdo sem querer gastar muito. Ele possui tela de 7,9″ com resolução de 2048 x 1536 pixels tal qual o pequeno tablet da maçã, mas as semelhanças param por aí. Suas entranhas contam com o Atom x5-Z8500 da Intel, um quad-core 64 bits com clock de até 2,2 GHz e GPU Intel HD Graphics de até 600 MHz, 2 GB de RAM, 16 ou 64 GB de espaço de armazenamento, câmeras principal e frontal de 8 e 5 MP respectivamente e bateria de 6.010 mAh.

O que chama a atenção nele entretanto é a possibilidade de escolher o sistema operacional embarcado. O modelo de 16 GB, que custará 999 yuans (R$ 592) onda obrigatoriamente o MIUI 7, mas o de 64 GB pode ser adquirido também com Windows 10 graças ao chip da Intel. Independente do SO a versão comais espaço custa 1.299 yuans (R$ 770).

Ambos já estão disponíveis na China. Não há previsão de quando ou S os aparelhos chegarão ao Brasil, mas como a Xiaomi agora atua oficialmente em nosso território esperamos que sim.

relacionados


Comentários