Meio Bit » Baú » Games » Ubisoft não gostou de ver suas ações pararem nas mãos da Vivendi

Ubisoft não gostou de ver suas ações pararem nas mãos da Vivendi

Após a Vivendi adquirir algumas ações da Ubisoft, o CEO da editora francesa teria enviado um email para funcionários onde revela toda sua indignação com o negócio.

23/10/2015 às 13:31

ubisoft

Nos últimos dias a Vivendi anunciou a aquisição de 6,6% das ações da Ubisoft por € 140,3 milhões — com previsão de investir mais € 118,4 milhões para chegar a 10,4% — mas de acordo com um email que teria circulado internamente, os responsáveis pela casa do Assassin’s Creed não ficaram nem um pouco satisfeitos com o negócio.

Escrito por ninguém menos do que o próprio CEO da companhia, Yves Guillemot, a mensagem deixa claro que o alto escalão considerou que o movimento foi “não solicitado e indesejado”, além de afirmar que a Vivendi tem “perseguido agressivamente companhias do setor do entretenimento.

Nossa intenção é e sempre será de nos mantermos independentes, um valor que, por 30 anos nos permitiu inovar, assumir riscos, criar franquias adoradas para os jogadores ao redor do muno e que ajudaram a companhia a crescer em direção à liderança que possui hoje,” disse o executivo no email. “Continuaremos lutando para preservar nossa independência. Não podemos permitir que esta situação — ou qualquer outra ação futura da Vivendi ou outras — nos distraia dos nossos objetivos. Nossa melhor defesa é permanecermos focados naquilo que sempre fizemos de melhor — entregar as mais originais e memoráveis experiências de jogo.

Confesso não lembrar de uma venda de ações ter sido tão mal recebida pelos executivos de uma empresa, mas eu também nunca tinha visto uma declaração interna tendo chegado ao público depois de uma venda como esta. Independentemente disto, por todas as notícias relacionadas a Ubisoft nos últimos dias (aqui e aqui), parece que a empresa está realmente dedicada a limpar um pouco a sua imagem e receber uma forte influência da Vivendi neste momento não parece ajudar muito neste sentido.

Vale lembrar que depois de passar quase seis anos sobre o comando do conglomerado francês, a Activision Blizzard gastou quase US$ 6 bilhões para readquirir sua intendência, negócio que provavelmente serviu de exemplo para que Guillemot e sua equipe ficassem tão preocupados com o interesse da Vivendi.

Agora vamos esperar para conhecer os próximos capítulos desta novela que promete muitas emoções (e assim espero, nenhuma decepção para os gamers).

Fonte: GamesIndustry.

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários