Meio Bit » Baú » Indústria » Rio 2016: Cisco inaugura Networking Academy e apresenta seu Projeto Olímpico

Rio 2016: Cisco inaugura Networking Academy e apresenta seu Projeto Olímpico

Fomos conhecer o projeto Olímpico da Cisco, que é parceira e apoiadora oficial dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos Rio 2016. Saiba tudo sobre a inauguração da Cisco Networking na Nave do Conhecimento, a infraestrutura criada para os Jogos e o núcleo de integração Olímpica, além dos vencedores do Desafio Cisco. #publi

19/10/2015 às 18:05

Post publieditorial

cisco_nucleo_integracao_olimpica

Fomos convidados pela Cisco para fazer a cobertura da apresentação do projeto da empresa como parceira e apoiadora dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos Rio 2016. O apoio da empresa não é restrito aos esportes, e também tem um lado social através do programa Abraça Capacitação, que foi criado pela organização da Rio 2016 para trazer um retorno dos Jogos para a população.

A Cisco está investindo na criação de unidades da Cisco Networking Academy nas Naves do Conhecimento da Prefeitura do Rio, além de uma parceria para o projeto do Porto Maravilha, que revitaliza e valoriza uma região incrível da cidade, mas que estava totalmente abandonada. A empresa também escolheu alguns atletas para representarem seu Projeto Olímpico, que chamam de embaixadores, Yane Marques do pentatlo; Marcus Vinicius D’Almeida do tiro com arco e Flávio Canto, que realiza um excelente trabalho em seu programa de engajamento Olímpico na comunidade da Rocinha.

inauguracao_cisco_networking_academy

A Cisco inaugurou na quinta-feira, a Cisco Networking Academy na Nave do Conhecimento de Triagem, em parceria com a Secretaria de Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro. O objetivo do projeto é capacitar profissionais que poderão inclusive trabalhar na Olimpíada, e até 400 profissionais estarão prontos para trabalhar durante os Jogos fazendo o suporte das redes da empresa instaladas na infraestrutura do evento junto com parceiros de tecnologia do Rio 2016.

Na minha opinião pessoal, a educação é o único caminho para o futuro do Brasil, e ver algo como a Nave do Conhecimento em pleno funcionamento foi muito legal, e me deu esperanças de alguma melhora a longo prazo. Sim, eu já tinha ouvido falar na iniciativa da Prefeitura do Rio, mas o projeto me surpreendeu, e foi sensacional ver tantas crianças usando a tecnologia para aprenderem e se divertirem, ao invés de ficarem perdidas pelas ruas da cidade. Até o momento, são cinco Naves do Conhecimento além da que eu conheci (Triagem), também estão funcionando as do Complexo do Alemão, de Padre Miguel, Madureira e Engenho de Dentro.

Outro ponto destas parcerias da Cisco com os Jogos Olímpicos é o de facilitar ao máximo a comunicação entre as diferentes confederações e centros de treinamento com o núcleo de integração Olímpica, do Comitê Olímpico do Brasil, que conta com vários equipamentos topo de linha da Cisco, como o TelePresence IX5000 series, uma estação de colaboração com câmeras 4K, três telas de 70 polegadas e sistema de som com qualidade de cinema.

cisco_equipamento_conferencia

No primeiro momento, são 5 confederações equipadas, mas a Cisco já entregou 30 câmeras HD, que serão instaladas nos próximos meses, e que podem ser usadas para treinamento e até para diagnóstico remoto de lesões. Além das câmeras, ficarão integradas ao núcleo mais 54 estações de vídeo e 200 telefones com monitor de vídeo, assim todos poderão participar das reuniões com o Time Brasil e o COB no núcleo de integração. São quatro toneladas de equipamentos importadas para que tudo funcione de maneira apropriada para ajudar na preparação dos atletas.

Indo além dos esportes, a logística de infraestrutura dos Jogos Rio 2016 é bem peculiar, com dois parques Olímpicos e quatro regiões Olímpicas em diferentes pontos da cidade. Além das arenas permanentes, são 8 arenas temporárias, e a Cisco é responsável por toda a infraestrutura de redes, e trouxe mais de 50 toneladas de equipamentos para fazer o seu trabalho, fundamental para a imprensa que fará a cobertura e transmissão da Olimpíada para o resto do Brasil do mundo. São mais de 100.000 portas LAN, e 7000 hotspots Wi-Fi, assim quem estiver trabalhando no evento não terá problemas para publicar o material ou compartilhar tudo nas redes sociais.

Todos os equipamentos foram importados sem o pagamento de impostos, e no final dos três anos de contrato podem ser devolvidos, doados para as entidades para confederações, ou nacionalizados, pagando os impostos.

A última parte do projeto Olímpico da Cisco é o Desafio Cisco, que foi criado para encontrar apps que representem soluções inovadoras para o Porto Maravilha, projeto de revitalização da região portuária do Rio de Janeiro. Foram 104 inscritos, dos quais 15 participaram da etapa final, com a premiação dos projetos Audio Alerta, Livrit, Nearbee, Net Sensors e ViiBus. Gostei especialmente do Net Sensors, que monitora através de sensores o nível dos bueiros e pode evitar alagamentos na cidade e do ViiBus, que ajuda pessoas com dificuldades visuais a encontrarem os pontos de ônibus e a embarcarem neles, integrando smartphones a sensores nos veículos e nos pontos.

O que a Cisco quer com todas estas parcerias é deixar mais do que a infraestrutura de redes que está sendo instalada na cidade para os Jogos, mas também uma forma de capacitar profissionais com sua Networking Academy e apoiar o esporte Olímpico no Brasil além dos Jogos do ano que vem, e sim de olho nos Jogos Olímpicos de 2020 e 2024.

O Meio Bit participou da cobertura do evento a convite da Cisco do Brasil.

relacionados


Comentários