Meio Bit » Baú » Internet » Sim, é uma galinha tuiteira.

Sim, é uma galinha tuiteira.

Eu sei que vai soar incrível mas existe uma galinha no Twitter, é parte de um experimento/propaganda de um restaurante australiano, que pretende que ela escreva em algum momento, por puro acaso uma palavra em língua inglesa. Imagino que seja “HELP!”

18/10/2015 às 21:20

326343030_640

Nos primórdios da internet, antes do Facebook, antes do Twitter, antes do YouTube, quando postar algo significava escrever em uma tabuinha de argila e jogar pela janela, o Burger King apareceu com um site muito bizarro: a Galinha Subserviente.

Você digitava comandos e uma “galinha” executava suas ordens em uma janela de vídeo, com um efeito bem legal pra época que simulava um streaming em tempo real. A campanha rendeu vários clones, inclusive o edificante e bem NSFW (teje avisado) Virtual Bartender, mas em essência era uma bobagem. No bom sentido, claro. Uma brincadeira despretensiosa e nada mais.

Agora, dez anos e um monte de reality shows de Kardashians depois há gente que acha que pode vender galinhas online como novidade. Ok, galinhas tuiteiras.

Um restaurante australiano chamado Chicken Treat resolveu matar dois coelhos e demonstrar o velho teorema segundo o qual um número infinito de macacos em um número infinito de máquinas de escrever eventualmente por puro acaso reescreveriam as obras de Shakespeare.

A proposta é mais modesta, no caso. Uma galinha chamada Betty foi colocada em um cercadinho, com um teclado, e suas bicadas são automaticamente transformadas em tweets, no perfil do restaurante, @ChickenTreat.

ChickenTreatAU — Introducing Betty - The first tweeting Chicken

Betty trabalhará no projeto até tuitar uma palavra de pelo menos 5 letras. Depois provavelmente vai pra panela.

Uma galinha ter arregimentado 28.400 seguidores no Twitter com posts como “21r4t5======== guv `````````````````miu 42f-= #chickentweet” não me assusta, impressionante e assustador é perceber que cada post desses gera um monte de retweets e em alguns casos até discussões políticas.

Fonte: CNN.

Leia mais sobre: , .

relacionados


Comentários