Meio Bit » Arquivos » Ciência » GE Hackaton Hack4Health — estivemos lá

GE Hackaton Hack4Health — estivemos lá

Saiba o que rolou durante a Hackaton #Hack4Health da GE Healthcare, que rolou durante a HIS 2015 a fim de promover novas ideias no campo da saúde

02/10/2015 às 9:32

ge-001

A GE está investindo pesado em tecnologia no Brasil. O Centro de Pesquisas Global, inaugurado em novembro no Rio de Janeiro é um bom exemplo. Outro é a atenção que a empresa dá aos desenvolvedores independentes, promovendo concursos e desafios.

Uma das formas q a GE utiliza para estimular a inovação é através das Hackathons, as maratonas onde desenvolvedores são desafiados a criar uma solução funcional em algumas horas, com direito a prêmios e apoio na hora de tirar o projeto do papel. Desta vez, aproveitando a Hospital Innovation Show 2015 realizada no início desta semana em São Paulo, uma trade show voltada para discutir novas tecnologias disruptivas e práticas de colaboração para a saúde a GE Healthcare promoveu a Hack4Health, desafiando os desenvolvedores a bolarem alternativas para melhorar o sistema de saúde.

A ideia da Hack4Health neste ano foi que as startups, desenvolvedores e profissionais apresentassem soluções para resolverem dois problemas: “Desospitalização” e “Redução de Custos e Aumento de Eficiência”. A primeira frente procura viabilizar alternativas mais voltadas a promover melhorias no Home Care, enquanto a segunda é autoexplicativa.

Tradicionalmente a Hackaton reúne todo o tipo de gente, desde profissionais de TI a outros tipos de profissionais e entusiastas, e desta vez não foi diferente. O inscrito mais jovem tinha 15 anos e o mais velho, 73. Aliás, dado o foco maior em saúde o nível dos participantes foi bem alto, e os projetos que apareceram durante o último fim de semana foram bem interessantes. Porém, como em toda competição foram preciso decidir quais seguiriam em frente para a final, que seria realizada durante a HIS 2015.

Dentre as dezenas de participantes quatro grupos foram para a final, e destes apenas dois seriam selecionados, um em cada categoria. A ideia vencedora foi o projeto do grupo iCare, uma solução voltada à otimização dos serviços de HomeCare: através de um aplicativo utilizado de modo coordenado entre as operadoras de saúde e as prestadoras de serviço (ele seria alimentado com os dados dos pacientes pelos profissionais de HomeCare), é possível reduzir os desperdícios com visitas desnecessárias e realizar tomadas de decisão mais rápidas.

icare

A operadora otimiza o gerenciamento de custos, a prestadora de serviços coletaria dados mais precisos através de monitoramento do paciente com o auxílio de wearables de monitoramento constante (uma boa aplicação para a Internet das Coisas), enquanto o último teria a garantia da qualidade do serviço prestado. O grupo recebeu um aporte de R$ 6 mil e receberá consultoria da GE Healthcare.

O segundo colocado foi o grupo Oxiot, que bolou uma solução simples para reduzir o desperdício de gases nos hospitais: hoje o consumo de oxigênio não é perfeitamente mensurado, além da imprecisão há a perda em má utilização, implicando em pagamento por estimativa de gás consumido.

oxiot-001

oxiot-002

A solução bolada foi um pequeno gadget, uma capa com um sensor que é colocada sobre o fluxômetro do cilindro. Com dois LEDs, ele é capaz de ler o nível exato de consumo de oxigênio e conectado à base de dados, informa exatamente quanto do gás foi realmente consumido (o protótipo acima, conectado a um Arduino realmente funciona). Assim o projeto diminui o desperdício, permite o pay per use para hospitais e permite a previsibilidade em HomeCare, evitando casos em que é preciso deslocar um tanque de emergência para a casa de um paciente, implicando em gastos adicionais com transporte. O grupo também será acompanhado de perto pela GE Healthcare a fim de tirar o Oxiot do papel, e recebeu um prêmio de R$ 4 mil.

A GE sabe que estimular desenvolvedores e profissionais é importante. A empresa faz ciência séria, e entende que o setor médico precisa de gente com visão e entusiasmo, e não é um ambiente apenas para médicos como muita gente pensa. A Hack4Health tem tudo para ser a primeira de muitas outras iniciativas da empresa no setor, e esperamos que muitas outras hackathons e outros projetos do tipo venham no futuro para fazer com que boas ideias se tornem realidade.

O Meio Bit participou da cobertura do evento a convite da GE.

Leia mais sobre: , , , , , .

relacionados


Comentários