Meio Bit » Baú » Games » Crianças estão preferindo jogar em tablets e smartphones

Crianças estão preferindo jogar em tablets e smartphones

Empresa americana faz levantamento e descobre que hoje as crianças preferem jogar nos tablets e smartphones, uma mudança de comportamento que não chega a ser surpresa.

25/09/2015 às 10:01

kid-tablet

Eu sempre me considerei um jogador mais de consoles do que de qualquer outra plataforma e apesar de não saber ao certo quando comecei a me interessar por videogames, tenho quase certeza que foi por volta dos quatro anos, quando passava várias horas diante de uma TV preto e branco jogando Atari.

Os tempos mudaram. Hoje a molecada tem acesso a jogos muito mais complexos, com gráficos que beiram o realismo e tudo isso em gigantescas televisões de alta definição. Ainda assim, percebi que meu filho nunca se interessou muito por jogar nos videogames, mas passa longos períodos brincando no tablet e de acordo com um levantamento feito pelo NPD Group, esse é um comportamento que não é exclusividade aqui de casa.

Segundo a pesquisa feita por eles, 63% dos jovens entre dois e 17 anos usam dispositivos móveis para jogar, fazendo com que esta seja a plataforma preferida deles, posto que antes pertencia aos computadores e que viu sua fatia nesse mercado cair 22% desde 2013, sendo utilizado atualmente por apenas 45% das crianças.

Existem muitos fatores que fizeram com que os tablets e smartphones se tornassem tão populares entre os menores, mas os principais deles parece ser a maior quantidade de jogos voltados para esse público e a evidente facilidade de utilização desses aparelhos, que além de poderem ser carregados para qualquer lugar, contam com uma interface bastante intuitiva.

Isso eu pude perceber aqui há bastante tempo, pois desde muito pequeno meu filho conseguia fuçar no iPad com extrema facilidade e a tela sensível ao toque é algo tão fantástico que por diversas vezes cheguei a vê-lo tentando clicar em figuras presentes em revistas.

Por ser uma pessoa que nasceu depois da era mobile, acho natural que ele tenha uma certa resistência a gamepads, que devido aos seus tamanhos e grande quantidade de botões provavelmente deve parecer um objeto bastante intimidador para alguém que se acostumou a fazer tudo o que queria sem precisar clicar em botões físicos.

Também deve pesar nesta falta de interesse aos consoles o fato de eu praticamente não jogar títulos mais voltados para crianças, mas mesmo quando eu resolve encarar um LEGO Marvel Super Heroes ou um LittleBigPlanet, o moleque acaba preferindo voltar para algum joguinho no iPad.

É, os tempos mudaram…

Fonte: CNET.

relacionados


Comentários