Meio Bit » Arquivos » Games » Times brasileiros voltam à série FIFA, mas de forma limitada

Times brasileiros voltam à série FIFA, mas de forma limitada

EA revela que 16 times brasileiros estarão presentes no FIFA 16, mas que jogadores não poderão utilizá-los no modo carreira.

14/09/2015 às 8:30

fifa-16

Com a chegada do PES 2016 às lojas, começará amanhã a nova temporada do futebol virtual nos consoles e computadores, e se na última edição do simulador da EA os fãs lamentaram a ausência dos clubes brasileiros, dessa vez a empresa americana conseguiu contornar o problema de licenciamento, mas apenas parcialmente.

Isso porque dos 20 clubes da primeira divisão, apenas 16 estarão presente, com as torcidas do Sport, Goiás, Corinthians e Flamengo sendo aquelas que não terão a oportunidade de jogar com seus times de coração. No caso dos dois últimos isso já era esperado, afinal os clubes mais populares do país haviam revelado nos últimos dias um contrato de exclusividade com a Konami, que dizem, teria pago um valor mais de 10 vezes superior a o que a EA lhes ofereceu para aparecerem no FIFA 16.

Trabalhamos para criar a melhor experiência possível para os fãs do FIFA no Brasil e ao redor do mundo para incluir as equipes brasileiras,” declarou Jonathan Harris, gerente da EA no Brasil. “Sabemos que os fãs do FIFA adoram jogar com os atletas e as equipes brasileiras no game, então adicionar 16 clubes é uma notícia positiva para todos os torcedores.

Contudo, por não ter todas os times presentes a EA Sports decidiu não incluir o campeonato brasileiro (assim, em letras minúsculas mesmo pois é como ele merece ser retratado) no modo carreira e por isso os 16 clubes estarão disponíveis na aba “Resto do Mundo” e se serve de consolo, saiba que pelo menos os jogadores poderão ser contratados quando estivermos jogando neste modo.

A grande discussão entre os torcedores de Flamengo e Corinthians é sobre a real vantagem em assinar um contrato de exclusividade, pois se de um lado eles receberão muito mais da Konami, por outro deixarão de ter suas marcas expostas num jogo que vende muito mais cópias em todos o planeta.

Mesmo considerando a preocupação válida, acredito que o problema vai muito além, servindo novamente para expor a maneira amadora como o nosso futebol é administrado, pois se existisse uma entidade minimamente competente que cuidasse da imagem dos clubes, dos jogadores e do campeonato, isso só aconteceria se a produtora do jogo não tivesse interesse, como a Konami faz com a Premier League.

Leia mais sobre: , , , .

relacionados


Comentários