Meio Bit » Baú » Games » Proibição de videogames é enfim revogada na China

Proibição de videogames é enfim revogada na China

Após 15 anos, embargo que proibia a livre comercialização de videogames na China é derrubado

27/07/2015 às 10:00

china-videogames

Esta pode ser uma boa notícia para os jogadores chineses: o governo de Pequim finalmente aboliu por completo a proibição da comercialização de consoles no país, embargo imposto em 2000 como forma de proteger o futuro de seus jovens. A partir de agora as empregas poderão fabricar e vender seus aparelhos em todo o território chinês.

A proibição entrou em vigor quinze anos atrás como desculpa para mais uma daquelas hilárias justificativas comunistas, “atendendo o clamor da população que temia que os jovens chineses desperdiçassem suas vidas nos videogames”, o governo tinha a legítima (só que não) preocupação de que os games poderiam causar um efeito negativo nas futuras gerações.

Oficialmente o banimento afetava apenas as empresas estabelecidas como Sony, Nintendo e Microsoft, mas ignorava o comércio de cópias ilegais de videogames tradicionais. Isso sem mencionar o esforço da Nintendo em ter lançado o iQue Player, um console barato para o mercado local a fim de driblar a proibição.

Enfim, desconsiderando o mercado de games para PC que sempre foi muito forte, consoles não poderiam ser vendidos na China até o ano passado, quando o governo deu uma afrouxada na proibição. Ainda assim foram estabelecidas algumas regras: os consoles e games passaram a ser fabricados e vendidos somente numa região de 18 km ao redor de Xangai, além de submetidos à inspeção do órgão estatal equivalente ao Ministério da Cultura a fim de garantir que nada violento demais ou obviamente, subversivo entre em circulação.

Tais medidas dificultaram a vida das fabricantes de videogames, que tiveram que arcar com custos extras a fim de entrar no mercado chinês. Agora, com o fim do embargo tais exigências deixam de valer e Sony, Microsoft e Nintendo podem fabricar e vender seus videogames em todo o território.

Resta saber se as empresas conseguirão competir de igual para igual com o mercado de games para PC, após 15 anos de severas restrições. Além dos computadores os chineses se habituaram a jogar em seus smartphones, portanto ainda é cedo para saber se valerá a pena. De qualquer forma a Microsoft vende o Xbox One no país, assim como a Sony com o PS4 e o PS Vita. A Nintendo disse em ocasiões passadas ter interesse em mercados emergentes mas após se retirar do Brasil, fica difícil saber quais são suas intenções para com a China.

Fonte: The Wall Street Journal (paywall) via The Verge.

relacionados


Comentários