Meio Bit » Arquivos » Mobile » Apple patenteia método que exibe ads baseados no saldo de sua conta bancária

Apple patenteia método que exibe ads baseados no saldo de sua conta bancária

Nova patente da Apple sugere a exibição de ads ao usuário apenas de itens que ele pode bancar, baseado no saldo de sua conta bancária

16/07/2015 às 15:01

apple-pay-credit-card

A Apple sempre bateu na tecla de que não possui o menor interesse em se alimentar dos dados de seus usuários para fazer negócios. Mas como diz o sábio uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa; quando há uma possibilidade real de fazer algum dinheiro com métodos que muitos não acham lá muito éticos, é certo que qualquer empresa o fará. Isso porque a missão de qualquer companhia é dar lucro, e não bancar a madre Tereza.

Por isso a notícia pode soar alarmista para alguns: hoje Cupertino registrou uma nova patente que descreve um novo sistema de e-commerce capaz de exibir anúncios aos usuários de iGadgets baseado naquilo que ele realmente pode bancar. Como? Acessando seu saldo bancário.

A patente descreve o método da seguinte forma: o sistema acessaria os dados dos cartões de crédito e débito do usuário — muito provavelmente já salvos no iPhone iPad para o uso do Apple Pay — e verificaria o saldo. A partir daí ele enviaria sugestões de itens que o mesmo teria condições de pagar sem que se endividasse; as mercadorias exibidas não poderiam ultrapassar 90% do valor do saldo, sendo os 10% restantes cobertos pelos cartões.

A patente descreve outras particularidades, como um serviço de pagamento e cobrança próprio para quem adquirir os produtos através dos ads e novos métodos de entrega física e digital. O sistema poderia inclusive influenciar o comportamento do usuário mesmo fora dos anúncios: ao entrar em uma loja online por exemplo, o algoritmo marcaria de alguma forma os itens que o usuário poderia bancar e ignorar os restantes, ou arranjá-los na tela de forma a destacar os produtos acessíveis.

O que pega nessa história toda é a posição de Tim Cook sobre a coleta e comercialização de dados do usuário. Mais de uma vez o executivo declarou que a Apple não armazena dados, nem aprova quando outras companhias vendem os dados de seus consumidores a terceiros (cofcofGoogleFacebookcofcof). Por outro lado, a Apple é uma grande empresa e como tal registrar patentes variadas é algo bem comum.

É possível que tal sistema nunca seja implementado dada a política da Apple, mas o tal algoritmo por si só é inovador por um simples motivo: hoje ads exibem o que as empresas querem vender baseados nas preferências do usuário; aqui ele exibiria anúncios somente daquilo que o mesmo pode pagar, evitando assim endividamentos desnecessários. Até porque a Apple precisa que seus fãs troquem de aparelhos todo ano.

Ainda assim, caso Cupertino mude de ideia e deseje tornar a patente realidade ela não terá muito trabalho: em 2014 foi anunciado que a Apple fechou o segundo trimestre daquele ano com quase um bilhão de cartões cadastrados em seu banco de dados, mais do que a Amazon.

Fonte: Business Insider.

relacionados


Comentários