Meio Bit » Baú » Indústria » Posse do Obama em Silverlight rodou no Linux graças à Microsoft

Posse do Obama em Silverlight rodou no Linux graças à Microsoft

21/01/2009 às 17:45

Quando foi noticiado que a coroação de Barack Obama, Segundo Imperador dos EUA seria transmitida via Silverlight a chiadeira dos freetards foi imensa (dentro do limite que há alguém que a escute).

Como sempre o pessoal que nunca se deu ao trabalho de estudar o que É a tecnologia Silverlight acha que é só mais um Flash, mas como é da Microsoft, pegaram as tochas e os ancinhos e correram para proteger o monopólio da Adobe.

Vejamos as barbaridades nos comentários do post relacionado, no br-linux:

"Já começou mal, afinal os americanos se gabam de ser o “país da
liberdade”, e algo assim fere diretamente a liberdade de um cidadão que
escolheu usar Linux de aproveitar um serviço público, que no caso é
assistir a posse de seu presidente."

"Além disso, os codecs de áudio e vídeo utilizados pelo Silverlight são
proprietários e protegidos por patentes. O único modo de assistir vídeo
com o Moonlight é utilizando codecs binários, isto é, software
proprietário."

"Já estreia decepcionando…
E eu que tava na maior fé que ele era o cara…"

"É uma pena que quase todo lobby tem interesse não governamentais pois
se fosse assim , não usaria o silverblight que somente os usuários
windows podem usar e quem usa opera também não pode."

Fingindo que não percebemos a declaração ignorante do último comentário, afinal Silverlight para OSX não é nem novidade, vamos prosseguir:

Curioso é que ao mesmo tempo em que o pessoal fazia esse mimimi todo, a Microsoft garantiu que a Novell mobilizasse o pessoal do Mono, incluindo Aaron Bockover, criador do Banshee, para que o player, que funcionava em Silverlight 2.0 fosse adaptado para funcionar no Silverlight 1.0, suportado pelo Moonlight, a versão Open Source desenvolvida por Miguel de Icaza e cia.

logotipo Obama-Moonlight. JURO!

O trabalho durou sete horas, com a Microsoft disponibilizando servidores de teste e facilitando a comunicação com o comitê responsável pela transmissão do evento. No final não só conseguiram como o player desenvolvido também deu acesso a usuários de Mac PowerPC, que tinham ficado de fora.

Final feliz, exceto para o pessoal que adora o mimimi mutuamente excludente "Microsoft não faz Silverlight para Linux" / "Moonlight é ruim pq é Silverlight para Linux"

Fonte: Ars Technica

relacionados


Comentários