Meio Bit » Baú » Indústria » iPhone - Custo-Brasil ou Ganância-Brasil?

iPhone - Custo-Brasil ou Ganância-Brasil?

14/01/2009 às 15:13

Na verdade em conversas com blogueiros e jornalistas sulamericanos, descobri que o problema é geral: Em nosso subcontinente (e nunca o sub esteve tão enfatizado) a promessa de Steve Jobs, de um iPhone a US$200,00 não se cumpriu.

A culpa, apesar da gritaria dos freetards e applehaters, não é da Apple, e sim da GANÂNCIA das operadoras, que transformaram a Lei da Oferta e da Procura na Lei do "É Hype? Mete a Faca".

Livre Mercado sim, ágio não, e o que está acontecendo é a cobrança de um Imposto do iPhone, para ter o privilégio de possuir um aparelho que já está sendo vendido em supermercado varejão nos EUA, os otários pagam mais de VINTE VEZES o preço de um aparelho com muito mais recursos.

Vejamos as "ofertas" em uma loja da Vivo no Centervale, em São José dos Campos:

Primeiro Caso: Um MARAVILHOSO Nokia E71, igualzinho ao meu, no plano 350+, que custa por volta de R$190/mês sai pela bagatela de R$49,00. Isso mesmo, minha senhora. Quarenta e nove realetas e mais nada. DE GRAÇA praticamente.

Segundo Caso: Um Nokia N95, maravilhoso telefone multimídia, boa câmera (depois da do LG Renoir a do 95 não é mais maaaaaaravilhosa, mas faz parte, as coisas evoluem. Menos no Kansas) saída pra TV, GPS, etc, etc. Condições? As mesmas do E71, R$49,00 no plano 350+.

Terceiro Caso: iPhone 3G de 8GB (nem é o de 16GB) no plano 350+ custa... R$1.199,00. Pombas, o LG Renoir no plano PRÉ-PAGO está estimado na casa de R$1300,00. Com todos os subsídios, em um dos planos mais caros, o iPhone custa mais de MIL REAIS?

Isso equivale a VINTE E QUATRO NOKIAS E71. VINTE E QUATRO. Vou repetir:

Se você acha que o Morróida não ilustra
perfeitamente o conceito de "24", leia isto aqui.

E com isso tudo você não ganha uma iTunes Store para comprar música, não ganha uma App Store para comprar JOGOS e não ganha acesso sequer ao conteúdo GRATUITO da iTunes Store dos EUA.

Se esse foi o melhor acordo que a Apple conseguiu por aqui, não deveria ter entrado no mercado latinoamericano. Nossas operadoras com mentalidade pré-revolução industrial não estão preparadas para ganhar com serviços, ainda vivem de esfolar os clientes desde a venda (ou a pré-venda, lembram da taxa de reserva de iPhone?) e se eu gostasse de ser esfolado teria passado na farmácia antes e comprado KY.

relacionados


Comentários