Meio Bit » Baú » Ciência » Descoberta falha de foguete russo que deu chabu em 2013

Descoberta falha de foguete russo que deu chabu em 2013

Os russos vêm perdendo foguetes com uma frequência perturbadora, mas poucos em um fracasso tão espetacular quanto o Proton-M que explodiu logo após o lançamento em 2013. Agora descobriram a causa do acidente: um idiota instalou 3 sensores de velocidade de cabeça para baixo. Clique e veja US$ 200 milhões virando fumaça. Ao menos os vídeos são bem legais…

31/05/2015 às 16:32

Proton-failed-launch

Por mais que o público ache o contrário, não existe rotina em exploração espacial. Você está lançando um — ou melhor, vários — tubos de metal interconectados, carregando centenas de toneladas de combustível altamente inflamável que nada mais querem que explodir em uma imensa bola de fogo. Aí você acende a ponta desse tudo e reza pro combustível queimar de forma comportada.

Um Saturno V tinha 3 milhões de componentes isolados. Se trabalharmos com uma margem de falha de 0,1% ainda assim temos 3.000 componentes que podem dar caca.

Como deu o Proton-M lançado em 1/7/2013. O histórico do foguete em si é complicado, o percentual de falhas é de quase 10%, se contarmos os problemas com o estágio superior, mas o pior mesmo é que há uma persistente falta de controle de qualidade ameaçando o projeto.

A Rússia, apesar da marra do Putin, está no buraco faz tempo. O PIB deles é menor que o do Brasil, e manter toda essa indústria aeroespacial e de defesa sai caro. Aí ocorrem hagadas como um Proton-M cujo estágio superior foi abastecido errado e ficou pesado demais. Ou esse de 2013. Ao menos o acidente é lindo:

Martin Vit — Proton M rocket explosion July 2 2013 slow motion full HD

Aqui visto de longe:

TheMrSuslov — Crash rocket “Proton-M” with 3 Glonass spacecraft / Аварийный пуск “Протон-М” 02.07.2013

De outro ângulo:

Dan Beaumont Space Museum — Proton M rocket explosion, NEW VIDEO 3, from Astrium team, July 2, 2013

Três satélites GLONASS e US$ 200 milhões foram pra vala. O motivo acabou de ser relevado, depois de anos de investigação: algum idiota provavelmente chapado de vodca instalou três sensores de velocidade de cabeça pra baixo.

Putin provavelmente já mandou o estagiário pra Sibéria, mas esse tipo de erro tende a se repetir, quando se economiza em certificação e testes. Sei bem como é isso, uma vez um diretor de TI “cortou custos e aumentou a agilidade” da empresa ao eliminar o ambiente de homologação, as alterações do software iam direto de desenvolvimento para produção. Foi divertido e levou quase 20 minutos pro site cair.

Fonte: Space Daily.

Leia mais sobre: , , , , .

relacionados


Comentários