Meio Bit » Baú » Filmes e séries » Take-Two não quer telefilme da BBC sobre a Rockstar e GTA

Take-Two não quer telefilme da BBC sobre a Rockstar e GTA

Take-Two quer colocar um fim no filme da BBC sobre Grand Theft Auto: drama sobre jogo da Rockstar não teria sido autorizado.

25/05/2015 às 9:30

gta-v

Take-Two chegando para por um fim nos planos da BBC

Vocês se lembram que a BBC colocou em ação planos para um especial futuro sobre a história da Rockstar Games, a desenvolvedora responsável pela franquia Grand Theft Auto? No caso o telefilme contaria com Daniel Radcliffe como o co-fundador do estúdio Sam Houser e as filmagens estariam previstas para começar este mês.

Pois bem, não se empolguem tanto porque o molho desandou: a Take-Two, produtora dona da Rockstar tascou um processo na cabeça da emissora britânica a fim de impedir a produção.

O filme, que já recebeu um título definitivo (“Gamechanger”) teria como foco a história e o sucesso da Rockstar principalmente puxado pelo impacto da série GTA na cultura geral e no mercado de videogames, e claro com todas as repercussões que viriam disso: os protestos de grupos contra a glamourização da violência em seus títulos seria o mote do telefilme, principalmente se focando na batalha em que o folclórico Jack Thompson empreendeu contra tudo o que ele achasse mais violento do que Super Mario. Informações recentes diziam que o ator Bill Paxton (nossa bucha de canhão favoritacom update) estaria negociando para viver o polêmico ex-advogado na produção.

Só que pelo visto a BBC garoteou feio: segundo declaração da Take-Two Interactive a emissora está sendo processada “por infração de copyright”, acrescentando que a Rockstar Games não faz parte do projeto. Ou seja, os ingleses resolveram fazer um telefilme, não negociaram direitos autorais e tocou tudo na base do “vai que cola”. Pois é, não colou.

Take-Two não está nem ligando se o filme seria uma homenagem a uma produção do estúdio britânico ou se ele faria parte da iniciativa Make it Digital, criada para incentivar uma nova geração de desenvolvedores, programadores e outros profissionais digitais. O mínimo que os produtores deveriam ter feito era um pedido formal para utilizar as marcas e nomes, mas pelo visto nem isso se deram ao trabalho.

Esse é mais um caso em que não importa a situação, é preciso fazer a coisa certa ao menos para evitar dores de cabeça. A BBC não quis se pronunciar sobre o assunto.

Fonte: Polygon.

relacionados


Comentários