Meio Bit » Baú » Engenharia » NASA testa protótipo de avião elétrico com 10 motores

NASA testa protótipo de avião elétrico com 10 motores

Um motor é bom, dois é melhor, e 10? É o que a NASA testou, um modelo de um avião elétrico decamotorizado, com direito a decolagem vertical.

04/05/2015 às 13:46

Nuclear_Airliner

Nos anos 50 EUA e CCCP viviam o deslumbre da era nuclear, que seria solução pra tudo. Então tiveram a brilhante idéia de construir aviões movidos a energia nuclear. Seriam bombardeiros com autonomia virtualmente ilimitada, sem precisar reabastecer.

Chegaram a fazer testes até que alguém se tocou que um reator nuclear + pouca ou nenhuma blindagem garantiria que sua tripulação teria filhos esquisitos. Dos dois lados alguém com bom senso cancelou o projeto.

Isso complicou a vida de quem planejava aviões elétricos, pois com baterias se a energia acabou, acabou, não dá pra reabastecer, você… cai.

Essa sempre foi minha posição, até o dia em que me toquei que era algo idiota. A menos que você seja muito amigo da USAF, e mandem um KC-130 quando você precisar, tanto faz bateria ou gasolina, vai cair se ficar sem combustível.

O grande problema dos aviões elétricos é a autonomia, baterias são pesadas, mas isso vem mudando, os aviões experimentais já existem, em geral são modelos solares, como o Helios, da NASA:

helios_aircraft_nasa_f.1188

A solução de painéis solares não serve pra aviões de verdade, o Helios tinha 75 metros de envergadura e pesava pouco mais de 600 kg. Por isso aviões como o Elektra One

elektra-one-in-flight

…possuem performance pífia. Tipo autonomia de 3 horas/500 km e capacidade de carga, incluindo piloto, de 99 kg. Sim, eles odeiam blogueiros.

Claro, com a evolução nas baterias e células de combustível, aviões grandes elétricos podem se tornar viáveis, e a NASA está de olho nisso, e além. O Greased Lightining GL-10 é um modelo criado para testar a viabilidade de uma aeronave multimotor com decolagem vertical:

gl10-hover-02

Os 10 motores são independentes, e o conjunto é bem silencioso. A grande preocupação dos cientistas era a fase de transição, que como o Bruce Jenner pode atestar, é complicada, mas tudo funcionou, mudaram do regime de vôo vertical pra ocidental horizontal sem problemas.

No papel o GL-10 é 4x mais eficiente aerodinamicamente do que um helicóptero, afirmação que irão tentar comprovar em novos testes. Bonito voando é, veja:

NASA Langley Research Center — Greased Lightning GL-10 Successful Transition Test

Fonte: NASA.

Leia mais sobre: , .

relacionados


Comentários