Meio Bit » Baú » Miscelâneas » Pixo 2.0: A Era dos Drones

Pixo 2.0: A Era dos Drones

Um quadricóptero e uma lata de spray: pichador utiliza um drone modificado para vandalizar enorme outdoor da Calvin Klein em Nova Iorque

04/05/2015 às 11:00

drone-grafitti

Os drones estão bem longe de serem a besta do Apocalipse como os histéricos costumam pintar. A bem da verdade eles são muito úteis, com aplicações pra lá de diversas: pastoreio de ovelhas, resgate de desaparecidos, entrega de mercadorias

Há aplicações menos inteligentes também, como a insana ideia do drone garçom. E como não poderia deixar de ser há os que vão tentar usar a tecnologia para o mal, embora os envolvidos neste caso não fossem dos mais espertos e nem tão contraventores assim.

Só que uma pessoa viu nos drones uma utilidade que caso entre em voga vai tirar o sono de muito policial: a pichação.

O grafiteiro/pichador KATSU já vinha mexendo com a possibilidade de transformar um drone numa ferramenta de contravenção há algum tempo: no ano passado ele demonstrou que era possível fixar uma lata de spray num quadricóptero e transformá-lo num pichador voador (a imagem que abre o post é dessa época). Ele utilizou um Phantom da DJI (que inclusive está disponível no Brasil) modificado e o direcionou para um enorme outdoor da Calvin Klein exposto em Nova Iorque, ilustrado pela modelo Kendall Jenner. Além de gigante ele está a seis andares de altura, chegar lá fazendo malabarismo seria completamente inviável.

drone-grafitti-outdoor

O outdoor depois da “intervenção”

Com o drone, KATSU não só conseguiu pixar a propaganda como a ação levou apenas cerca de um minuto. O mesmo prevê que daqui para a frente o uso de drones para esse fim se tornará cada vez mais comum, permitindo que os pichadores alcancem lugares antes inatingíveis e com mais segurança, tanto física quanto no que diz evitar ser pego pela polícia.

Sim, tem vídeo:

Yeah Boyy — KATSU Drone Drawing 2015 on Kendall Jenner

Claro que a ação é absolutamente ilegal, mas não consigo deixar de imaginar a implicação desse tipo de uso dos drones em casos mais nobres, por assim dizer. Outra coisa: o controle é uma lástima, o pichador não conseguiu fazer nada além de rabiscos, portanto o pichador interessado terá que ao menos programar rotinas para deixar o drone fazer tudo sozinho.

E por fim, quadricópteros não são necessariamente baratos (no Brasil, não mesmo) e por isso não creio que vamos ver um enxame de drones com latinhas de spray rabiscando tudo por aí, o que pode levar a polícia a se inspirar nos malucos do Colorado e sair atirando pra todo lado.

Fonte: Wired.

Leia mais sobre: .

relacionados


Comentários