Meio Bit » Baú » Games » Valve cede e para de vender mods no Steam

Valve cede e para de vender mods no Steam

Após má repercussão, Valve recua e cancela a venda de mods no Steam. Medida deverá acalmar os ânimos, mas será que ela precisava ser tão radical?

28/04/2015 às 8:30

skyrim-mod

Cinco dias. Este foi o tempo necessário para a Valve perceber que não estava disposta a entrar numa briga com parte de seus usuários que detestaram a ideia de ter que pagar por mods e com isso a possibilidade dos modders lucrarem com suas criações já não faz mais parte do Steam.

O primeiro indício de que isto aconteceria foi dado pela Bethesda, empresa escolhida para inaugurar o negócio e que diante de tamanha repercussão negativa, preferiu seguir os passos da Tripwire Interactive. Então um representante da Valve publicou um post para tentar explicar porque eles voltaram atrás, onde afirmou ainda que todos aqueles que pagaram por alguma modificação serão ressarcidos.

Fizemos isso porque estava claro que não entendemos exatamente o que estávamos fazendo. Temos entregado várias funções ao longo dos anos visando permitir que a comunidade de criadores receba uma parte da recompensa e no passado elas foram bem recebidas. É óbvio agora que este não é o caso.

Para ajudar vocês a entenderem porque pensamos que essa era uma boa ideia, nosso objetivo principal era dar aos criadores de mods a oportunidade de trabalharem em seus mods em tempo integral se quisessem e para encorajar os desenvolvedores a oferecer um melhor suporte às suas comunidades de mods. Pensamos que isso resultaria em melhores mods para todos, tanto gratuitos quanto pagos. Queríamos que mais grandes mods se tornassem grandes produtos, como o Dota, Counter-Strike, DayZ e Killing Floor, e queríamos que isso acontecesse organicamente para qualquer criador de mods que quisesse tentar a sorte.

Pois esta última parte é algo que tem rondado minha cabeça desde que o anúncio da venda de mods teve início. No final do texto em que falei sobre o assunto eu disse que acreditava que boas criações se destacariam sendo pagas ou gratuitas, então será que vender mods não seria uma maneira de tentar forçar um pouco a barra? Na própria declaração do Kroll temos diversos exemplos de mods que se tornaram jogos vendidos separadamente e fica óbvio que seus criadores lucraram com isso.

O que quero dizer é que se o trabalho feito em uma modificação for bom, existe uma grande chance de seus criadores serem recompensados por ele, mas o que me incomoda mesmo é o fato do modelo possuir alguns problemas que considero bastante sérios.

O primeiro dele está relacionado a forma como algumas desenvolvedoras estão tratando seus consumidores. Recentemente temos visto vários jogadores corrigindo erros absurdos presentes em alguns games e neste caso, seria justo eles lucrarem com algo que normalmente seria gratuito? E no caso de receberem, será que isso não incentivaria as empresas a serem ainda mais desleixadas, já que seria mais barato deixar alguém arrumar os defeitos e depois elas mesmas ficarem com uma parte das vendas?

Pois este é outro ponto que pouco se falou nestes dias, a porcentagem paga aos modders. Você sabia que ao vender sua criação no Steam o autor receberia apenas 25%, sendo que a Valve ficaria com 30% e a desenvolvedora com os 45% restantes? Será que tal rateio era mesmo algo justo?

Para ser sincero, eu não lamento a decisão da Valve de desistir do negócio, pois como disse anteriormente, enxergo razão nos dois lados dessa discussão. Porém, o que me deixa triste é perceber que eles não deixaram opção, pois que mal faria manter um botão para que os interessados pudessem fazer doações aos criadores dos mods?

Leia mais sobre: , , , , , .

relacionados


Comentários